espaços

Aqui se comprova que a cultura não ocupa muito espaço.

no interior: “autobiografia”

Vinheta existente no interior do livro Autobiografia de José Luís Peixoto, editado pela Quetzal Editores.

(…) Nesse instante, aquele mês de agosto, não demasiado quente, regressava pela janela, voltava a ter autorização para transpor as cortinas. A luz agarrava-se toda ao papel de parede.
Autobiografia de José Luís Peixoto (página 41)

A adorar a leitura. A adorar.

mil e uma aventuras e mais uma ainda

Comigo é sempre a abrir!!

que cara de pé!

Inicialmente foi um pé. Agora é um pé com estilo.

leituras em 2020

Para me manter na crista da onda vou tentar listar, por que a vida também se faz de listas, alguns dos livros que me satisfizeram ACIMA da MÉDIA em 2020.

  1. Canto Nómada de Bruce Chatwin ⭐
  2. Tony Chu: Galo de Cabidela #10 de John Layman e Rob Guillory
  3. Coração Negro de Naomi Novik (pensei duas vezes em colocar este livro na lista, mas como a fantasia com raras excepções não me enche a barriga destaco este livro por ter-me satisfeito a gulosice)
  4. A Sociedade dos Sonhadores Involuntários de José Eduardo Agualusa
  5. Os Despojados de Ursula K. Le Guin (releitura) ⭐
  6. Viajem a Itália de Johann Wolfgang von Goethe
  7. O Amigo do Deserto de Pablo d’Ors
  8. A Rainha Ginga de José Eduardo Agualusa
  9. Sr. Mercedes de Stephen King
  10. Errata de Nuno Moreira (fotografias) e David Soares (textos) ⭐
  11. 1Q84 (vol 2) de Haruki Murakami ⭐
  12. A Especulação Imobiliária de Italo Calvino
  13. O Homem que Matou Lucky Luke de Matthieu Bonhomme
  14. 1Q84 (vol. 3) de Haruki Murakami ⭐
  15. O Fim da Solidão de Benedict Wells ⭐
  16. A Praia de Manhattan de Jennifer Egan
  17. Filho de Deus de Cormac McCarthy
  18. Longe de Manaus de Francisco José Viegas
  19. O Expresso Amanhã – Os Sobreviventes de Jacques Lob e Jean-Marc Rochette
  20. Príncipe dos Espinhos de Mark Lawrence
  21. Dois Anos, Oito Meses e Vinte e Oito Noites de Salman Rushdie ⭐
  22. O Papagaio de Faulbert de Julian Barnes
  23. O Homem Corvo de David Soares
  24. Gelo de Anna Kavan ⭐
  25. Histórias de Loucura Normal de Charles Bukowski
  26. Zero K de Don DeLillo ⭐
  27. A Companhia Negra de Glen Cook
  28. O Expresso do Amanhã – O Explorador de Benjamin Legrand e Jean-Marc Rochette
  29. O Expresso do Amanhã – A Travessia de Benjamin Legrand e Jean-Marc Rochette
  30. Rever Paris de François Schuiten e Benoît Peeters
  31. Fahrenheit 451 de Ray Bradbury (releitura) ⭐
  32. Ficções de Jorge Luis Borges (releitura) ⭐
  33. Uma Casa para Mr. Biswas de V. S. Naipaul ⭐
  34. O Defunto Logan #2
  35. Outras Inquirições de Jorge Luis Borges ⭐
  36. Rugas de Paco Roca ⭐

mais legos ninjago

A partir do lado esquerdo temos: Sawyer, Lloyd e Cole – mais uns.

de lado – 0124

Até num quarto de imaculado branco a escuridão me consegue abraçar.

from the perverse mind of paulo brito

fragmento.000471

Clássico não é um livro (repito-o) que necessariamente possua tais ou tais méritos; é um livro que as gerações dos homens, instadas por diversas razões, leem com prévio fervor e com uma misteriosa lealdade.
Outras Inquirições de Jorge Luis Borges (página 256)

fragmento.000470

(…) Hume negou a existência de um espaço absoluto, em que cada coisa tem o seu lugar; eu, a de um único tempo, em que se delimitam todos os acontecimentos. Negar a coexistência não é menos árduo que negar a sucessão.
Nego, num elevado número de casos, o sucessivo; também nego, num elevado número de casos, o contemporâneo. O amante que pensa: «Enquanto eu estava tão feliz, pensando na fidelidade do meu amor, ela enganava-me», engana-se; se cada estado que vivemos é absoluto, esta felicidade não foi contemporânea desta traição; a descoberta desta traição é simplesmente mais um estado, inapto para modificar os «anteriores», embora não a sua lembrança. A desventura de hoje não é mais real que a fortuna pretérita.
Outras Inquirições de Jorge Luis Borges (página 234)

outras inquirições de jorge luis borges

E terminei o ano com este admirável livro. Mais que excelente – soberbo!

Tradução: José Colaço Barreiros