livros na palete – posição 014

13 Set
13.09.2019

Nesta palete tenho mais uns livros de Aquilino Ribeiro e três autores novos.

  • Terras do Demo de Aquilino Ribeiro
  • O Homem da Nave de Aquilino Ribeiro
  • Príncipes de Portugal de Aquilino Ribeiro
  • Vaca Sagrada de David Duchovny
  • Um Inverno, Sete Sepulturas de Christopher Petersen
  • E Então Vai Entender de Claudio Magris

no interior: “como a sombra que passa”

12 Set
12.09.2019

Fotos no interior do livro “Como a Sombra que Passa” de Antonio Muñoz Molina publicado pela Ponto de Fuga.

loud! 222

12 Set
12.09.2019

Aqui estou eu na preparação da leitura do artigo de David Soares, “A Anfisbena Manuelina”, publicado na revista Loud!

antologia batman: 80 anos de aventuras

11 Set
11.09.2019

Neste volume estão reunidas sete bandas desenhadas que apresentam apenas algumas curiosidades; não são representativas da evolução do Batman ao longo de 80 anos.

E com este volume termina a colecção de 80 anos do Batman.

o cavaleiro das trevas volta a atacar – volume ii

11 Set
11.09.2019

Aqui está a conclusão da espectacular saga. Com este volume termina o sangramento feito pela Levoir a esta obra. Neste volume está reunido parte do 2.º número e a totalidade do 3.º número da mini-série original.

32

11 Set
11.09.2019

32 é o número de dádivas de sangue que dei até ao presente. É um número agradável e que faz criar um sorriso.

livros na palete – posição 013

09 Set
09.09.2019

As compras de banda desenhada do fim-de-semana…

09 Set
09.09.2019 (…) Os primeiros solavancos metálicos do comboio a arrancar transmitiam a sensação física e perentória do início da viagem, o corte brusco que nos separa e liberta do quotidiano; como o momento em que os músicos começam a tocar e é como se uma corrente poderosa tivesse irrompido; como a imersão nas primeiras imagens de um filme ou nas primeiras frases definitivas de um livro. Cada começo é um era uma vez e o princípio do Génesis, o primeiro verso da Ilíada, a primeira linha de ou do Lazarilho de Tormes ou de Moby Dick. Tratem-me por Ismael. Antes de tudo o mais, saiba pois Vossa Mercê que me chamam Lázaro de Tormes. Se numa noite de inverno um viajante. A primeira vez que vi Terry Lennox, estava ele perdido de bêbado dentro de um Rolls-Royce último modelo. Porventura não existe melhor começo do que uma enunciação impessoal de factos muito precisos. É deste modo que a literatura reclama ou imita a objetividade do mundo. Por isso mesmo, o início de romance de que mais gosto foi o que Flaubert escreveu para A Educação Sentimental, que versa sobre o início de uma viagem e tem qualquer coisa de registo administrativo ou de anotação num diário de bordo: «Em 15 de setembro de 1840, pelas seis da manhã, o Ville-de-Montereau, prestes a partir, lançava grossos rolos de fumo em frente do cais de Saint-Bernard.» Às onze da noite de 1 de janeiro de 1987, o Lusitânia Expresso saiu da estação de Atocha, em Madrid, em direção a Lisboa. No dia 8 de maio de 1968, à uma e um quarto da madrugada, um viajante de perto de quarenta anos, com um fato escuro e gabardina, chegou ao aeroporto de Lisboa num voo procedente de Londres.
Como A Sombra Que Passa de Antonio Muñoz Molina (página 107)

prestigious azure courser

08 Set
08.09.2019

A mount de recompensa a Honor Level 70.

6 pessoas + 1

03 Set
03.09.2019

Inicialmente estavam seis pessoas sentadas ao redor da mesa de café. Logo de seguida instalou-se à mesa o Huawei que era não apenas muito amigo da P., mas, igualmente, muito interessante porque durante todo o tempo que estive naquela mesa P. só o encarava e acariciava.

Por isso decidi convidar para o convívio o meu amigo Antonio Muñoz Molina. Conversamos sobre “O Inverno em Lisboa”.

O resto do pessoal não ficou muito contente.


Conclusão: é mais aceitável brincar com um telemóvel do que ler um livro.

© 1999.2019 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!