rodada

26 Mai
26.05.2006

Neste último fds aluguei 3 DVDs. Dois deles com o objectivo de “vamos lá ver se valem a pena“. O terceiro desde fevereiro de 2005 que o desejo ver.

Por partes.

Red Eye: foi uma boa surpresa.
É um thriller à moda antiga bem conseguido. Consegue manter o suspense sem qualquer dificuldade. A que não é alheio a actuação do assustador Cillian Murphy.

The 40 Year Old Virgin: o filme menos cómico que me lembro de ter visto e um insulto à minha inteligência. Vi o filme até ao fim apesar de ter começado a coçar a cabeça logo aos 10 minutos. O que é mau sinal. Aos 15 minutos pensei o quanto é bom a tecla forward. Mas resisti à tentação para tentar perceber o ambiente criado à volta do filme. E, claro, que acabei por descobrir o motivo de tanto falatório: o filme é de uma imbecilidade desesperante. Podiam-me ter avisado.

Para à noite de Domingo ficou The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy. Sentei-me no sofá com o estômago devidamente aconchegado depois de o ter mimado com uma francesinha e uma belga. Sir Paxo partilhava do meu entusiasmo, mas não partilhei com ele nem a francesinha nem a belga. Ele papou e bebeu a dele.

É The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy um bom filme? Sim. Não.
Sim, é uma boa adaptação do trabalho de Douglas Adams.
É uma adaptação que não, deveria ter sido feita. O cinema com o seu ritmo próprio matou o livro. The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy como livro é excelente; quanto a isso não restam dúvidas. Mas para funcionar como filme teria de sofrer grandes alterações.

Como filme não convence mesmo nada. É pena.

etiquetas: , , , , , , ,
0 respostas

deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!