m might shyamalan

M. Night Shyamalan tem vindo nos últimos dois filmes a perder-me como fã. Situação que não o deve preocupar muito.

The Village (A Vila) foi um daqueles filmes que me forneceu um desejo enorme, absurdamente enorme, de me atirar a duas belgas para esquecer o tempo perdido.

Signs (Sinais) não foi uma desilusão, foi uma mega merda. ET’s vêm ao nosso planeta sei lá de quantos anos-luz nas suas navezinhas todas brilhantes cheias de alta tecnologia e acabam presos num armário. O herói tem a ideia de colocar um capacete à Tin Man para evitar que a mente seja lida pelos ET’s. Porque todos os ET’s ou não são muito inteligentes (nem sabemos com deram com a Terra) ou têm sempre uma pequena mas fundamental fraqueza. Mas isso não é o principal. Importante é que o filme “its something that lets you leave the cinema thinking truly that in this life there are no coincidences and things happen for a reason. As Gibson said in the film, there are two kinds of people. There are those who believe that everything happens for a reason and that we are not alone; and there are those who believe that we live in metaphysical solitude. There are people with faith and without it. He now has to figure out which group he belongs to, and so he does in the chilling climax.

Por favor, os ET’s ficaram presos no armário.

Por tudo isto não sei se irei visualizar o novo filme de Mr. Night Lady in The Water:

Plot Outline: Apartment building superintendent Cleveland Heep (Giamatti) rescues what he thinks is a young woman from the pool he maintains. When he discovers that she is actually a character from a bedtime story who is trying to make the journey back to her home, he works with his tenants to protect his new friend from the creatures that are determined to keep her in our world.

from imdb
0 respostas

Deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.