trevo de 4 folhas

21 Mar
21.03.2008

Não há dúvidas. Isto é um trevo de quatro folhas.
Não foi colhido no meu jardim.
Não foi colhido no jardim alheio.
Foi colhido na berma da estrada.
Entre muitos trevos normais, aqueles de três folhas, este é uma anomalia genética, uma aberração.
Decidiu ser diferente. Ora vejam só.
E como acontece a muitas “coisas” diferentes foi, talvez, mais penalizado do que beneficiado.
Foi extraído do grupo por dois dedos. O polegar e o indicador sem a necessidade do uso de força extrema encarregaram-se de o salientar do grupo arrancando-o. Simples. Mortal.
A mão a que pertence esses dois dedos, não é nem uma mão assassina, nem uma mão marota, nem uma mão amoral, nem uma mão curiosa, é apenas uma mão invejosa. Sei que não devo adjectivar desta forma uma mão; mas sinto-me desculpado. É quase páscoa e isto vale para alguma coisa? É o que eles costumam dizer por aí.
Retomando o discurso, que vejo ser já de alguma incoerência, a mão executou apenas a vontade de um ser maior, a mente. E o que desejava a mente? Um trevo de 4 folhas, uma coisa dissemelhante, para o exibir. E depois o espremer até secar entre as páginas de uma livro porque dá sorte. Que sorte?

Ser diferente é bom? Pergunto. Ou é melhor ser igual? pergunto também.

etiquetas: , , , , ,
0 respostas

deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!