the mummy: tomb of the dragon emperor

Rick O’Connell: Here we go again.

from imdb

A terceira aventura protagonizada pela família O’Connell (The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor) é mumificante. As minhas desculpas pelo trocadilho.

A primeira de muitas asneiras, sem esquecer a grandeza da pobreza do argumento, é a ausência de Rachel Weisz. Maria Bello no papel de Evelyn O’Connell não convence.

Rachel Weisz conseguiu nas duas anteriores aventuras não apenas colar-se à personagem, mas transmitir uma empatia ímpar. Esta “simpatia” não funcionou e Brendan Fraser vai na onda e perde-se, igualmente, na personagem. E a derrocada do filme começa nessa ausência de simbiose entre duas personagens chaves.

John Hannah, o irmão, o cunhado, que cativava pela estupidez passeou-se sem brilho. Foi a primeira de muitas múmias. Temos, também, uma múmia Alex O’Connell. E verdade seja dita Arnold Vosloo consegue ser mais vilão que Jet Li.

Os efeitos especiais de pacotilha devem ser a desculpa para a mãe de todas as burrices. O general apesar de desmembrado por cavalos aparece por milagres de CGI apenas sem um braço. Uau.

0 respostas

deixar uma resposta

deseja juntar-se à discussão?
esteja à vontade para contribuir!

deixar uma resposta