opiniões são como…

Não compreendo como é possível politizar isto.

Eluana Englaro, a mulher italiana de 38 anos há dois anos em estado vegetativo persistente, morreu hoje, às 19h10 (hora de Lisboa), anunciou o ministro da Saúde Maurizio Sacconi aos senadores italianos. Não era alimentada há quatro dias, seguindo a ordem judicial para desligar os meios que a mantinham presa à vida.

Até entendo. A estupidez não tem fronteiras.
A minha convicção (sim de vez em quando opino) está do lado do viver com dignidade e não de falsas moralidades religiosas.
Eu só entendo a defesa do prolongamento do estado à matrix por pessoas que devem dar de vez em quando uma esmola ao “pobre” da esquina, para ele perceber que é “pobre”, por pessoas que defendem que o Natal é quando um homem quer, por pessoas que se lembram das crianças vítimas da fome de guerra no dia mundial da criança, mas como já me afastei das grilhetas do pensamento cego, da “fé” porque sim, permito-me de vez em quando pensar pela minha cabeça, pelas minhas vivências e não posso, como tal, estar do lado dos “perdão fácil”.

Uma breve pesquisa por esta net que nos anima ou deprime descobrimos muitas opiniões elegantes dos que sim e dos que não.

0 respostas

Deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.