o jantar 2.0

O livro de banda-desenhada “As Muralhas de Samaris” foi comprado num pacote juntamente com “O Arquivista” e “A Fronteira Invisível”, vol. I. Como já tinha a edição em francês de “Les murailles de Samaris” assinada pelos autores lembrei-me de o oferecer como bónus 2 em 1 ao sir p.. Acho que sir p. ficou contente com as prendas que recebeu da minha modesta pessoa quando ele sabe que detesto dar livros que não tenho e gostava de ter. Contudo por muito que me custe não me sinto confortável a oferecer uma obra que já tenho. A aventura de procurar o tal livro é muitas das vezes compensatória e faz-me, quase, esquecer o quanto detesto oferecer livros.

“As Muralhas de Samaris” é a primeira obra da saga “As Cidades Obscuras” criação máxima de François Schuiten (desenho) e de Benoît Peeters (escrita).

Série Oficial

  1. Les Murailles de Samaris (1983) – As Muralhas de Samaris [1]
  2. La Fièvre d’Urbicande (1985) – A Febre de Urbicanda, pela Edições 70 [2]
  3. La Tour (1987) – A Torre [3]
  4. La route d’Armilia (1988) – [1]
  5. Brüsel (1992) – Brusel [4]
  6. L’enfant Penchée (1996) – A Menina Inclinada
  7. L’Ombre d’un Homme (1999) – A Sombra de um Homem [2]
  8. La Frontière Invisible, vol. 1 (2002) – A Fronteira Invisível, vol. 1, pela Witloof[2]
  9. La Frontière Invisible, vol. 2 (2004)
  10. La Théorie du grain de sable, vol. 1 (2007)
  11. La Théorie du grain de sable, vol. 2 (2007)

Outras Obras

  • L’archiviste (1987) – O Arquivista, pela Meribérica [5]

Mas voltando ao meu rascunho inicial. No tal jantar falou-se de muitas coisas e uma delas foi o esquecimento regular, digamos que compreensível, de sir p. em dar-me os parabéns quando a passagem do tempo permite que eu a comemore anualmente; e apesar de ficar geralmente aborrecido, outras vezes fodido, mas só foram duas vezes, perdoo por amizade, como Wilson, as diabruras de um fraco candidato a House.

Mas voltando, novamente ao ano em que deveria fazer e devo dizer que fiz os meus 33 anos de idade. Por cerca de, sei lá, 11 meses mencionei que estava morto desejoso de passar os 33 anos porque foi a idade com que JC morreu. E como sou um ateu e se estiver maldisposto um agnóstico eu seria a prova viva de que Ele não existe ou se existe não me liga puto. Nesse ano, 2001, sir p. deu-me os parabéns. E fazendo umas contas assim para o “a correr” já privamos, umas vezes assim outras vezes menos assim, há cerca de 11 anos.

Ainda não é um bom vintage, mas talvez venha a ser.


[1] tenho as edições em francês assinadas pelos autores
[2] edições em português
[3] tenho a edição em espanhol
[4] tenho esta obra, salvo erro, na coleção “Selecções BD”
[5] é a única obra que tenho fora da série d’ “As Cidades Obscuras”. As restantes obras podem ser consultadas na wikipedia.

0 respostas

Deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.