suíte no hotel crystal

À primeira vista não deixa de ser um guia de hotéis e é isso ao fim e ao cabo, mas não só.

É um livro chato, repetitivo com as sucessivas e pormenorizadas descrições dos quartos de hotel, mas mesmo, foi sendo lido porque Olivier Rolin apimenta, no final de cada capitulo, as descrições dos quatros de hotéis com pequenas histórias de paixão, de morte…

“Suíte no Hotel Crystal” acaba por se transformar a cada novo capítulo num doce jogo de memórias e de viagens.

0 respostas

deixar uma resposta

deseja juntar-se à discussão?
esteja à vontade para contribuir!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.