ligação directa

14 Abr
14 Abril, 2011

Ao sair de casa perguntaram-me se tinha um isqueiro. A pessoa que assim me interpelou tinha a balancear entre dedos um cigarro. ‘Não tenho’, respondi. Até podia ter um isqueiro ou fósforos apesar de não fumar; por vezes encontro no meu, quase, alforge coisas que nem o diabo imagina. “Alforge” que não é em nada semelhante às carteiras? de algumas mulheres que de tão complexamente grandes têm a capacidade de esconder um extintor CO2 de 5Kg.

O transeunte que me tinha interpelado abordou sem dificuldade um fumador (ia a fumar dah!) que cruzava a estrada e pediu-lhe lume.
(Reparem que já não se fez de esquisito. Agora queria, apenas, lume. Não especificou que teria de ser de um isqueiro.)

Levou com um bis negativo que quase o destroçava não lhe tivesse sido oferecido uma ligação directa; e lá cigarro contra cigarro o andante anónimo alcançou o seu propósito inicial.

Tags: , , , , , , ,
2 replies
  1. Bongop says:

    Ora… o homem queria acender o cigarro com classe! Ou seja com um isqueiro e não com amorfos ou ligação directa (lol).
    Assim o cigarro já não lhe soube tão bem… acender um cigarro com um Alair de 1932 e uma ligação directa, faz muita diferença…
    😀

    Abraço

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
%d bloggers like this: