Archive for month: Maio, 2011

don rosa

30 Mai
30.05.2011

Don Rosa visitou o nosso país entre 26 de Setembro e 1 de Outubro de 1997, aquando do IX Salão Internacional de Banda Desenhada do Porto, realizado no Mercado Ferreira Borges – nessa altura vi em carne em osso Don Rosa e obtive uma assinatura numa capa do álbum de uma das aventuras mais emblemáticas deste artista.

Mas quem é Don Rosa?

Keno Don Hugo Rosa, known simply as Don Rosa, (born June 29, 1951) is an American comic book writer and illustrator known for his stories about Scrooge McDuck, Donald Duck and other characters created by Carl Barks for Disney comics, such as The Life and Times of Scrooge McDuck.

from wikipedia

don rosa

don rosa

Outro álbum directamente do sótão

shredder

29 Mai
29.05.2011

Shredder a tomar conta dos livros de Proust.

a ler “batalha”

27 Mai
27.05.2011

Durante um tempo estarei de férias. Tenho ao meu lado em tom amarelo o novo romance de David Soares “Batalha” (chancela Saída de Emergência).

Para quem não sabe David Soares é português, lisboeta como poucos e uma referência incontestável na literatura do fantástico e do horror; se isto não fosse o suficiente ainda percorre com desenvoltura a banda desenhada – um criador completo.

É um autor a descobrir ou a reencontrar.

Uma coisa é garantida com qualquer obra de David Soares; esta “Batalha” será igual: ninguém consegue ficar indiferente.

Não precisam de me desejar boa leitura. David Soares fornece sempre boas leituras. Fiquem bem, que eu também.

untitled xxii

25 Mai
25.05.2011

pois ?????????????? o nome!!!!!

untitled xxi

25 Mai
25.05.2011

yellow or not yellow!

toys & toys

25 Mai
25.05.2011

More toys. As minhas naves.

untitled xx

24 Mai
24.05.2011

no name. sei lá o nome do bicho pássaro.

more toys

23 Mai
23.05.2011

Mais bonecos das minhas estantes.

vodka martini, ii

22 Mai
22.05.2011

Uma imagem mais singela de um vodka martini.

o dossiê sócrates

22 Mai
22.05.2011

Poucas vezes trago política ao meu blog.
Nem pretendo com esta entrada fazer política ou revelar as minhas tendências ideológicas. O que desejo é a dar mais uma vez dar a conhecer um livro escrito com imenso sofrimento por António Balbino Caldeira que eu tive o prazer de ler na data do sua edição em 2009.

É um livro que deve ser lido sem preconceitos e sem ideias pré-concebidas.
Como já aqui escrevi deve ser lido porque ainda existem pessoas como António Balbino Caldeira que nos surpreendem pela coragem e espírito democrático; mais uma vez revela que a “verdade não deve ter vergonha de nada, a não ser de estar escondida“.

O seu livro é de leitura obrigatória para todos o que vêm a verdade como algo de balsâmico, porque

A verdade não tem nenhuma hora especial para ela. Sua hora é agora e sempre.
– Albert Schweitzer

E sobre o autor, o homem, o português copio isto, já aqui emprestado:

Sou homem: penso, sinto e ajo. Sou cristão: não acredito na vingança. E sou cidadão: livre. Nada de pessoal. Com base naquilo que foi publicado, escrevi sobre aquele que é o maior escândalo do pós-25 de Abril em Portugal: em defesa das crianças; dos denunciadores do Horror dos abusos de décadas sobre centenas de meninos órfãos e indefesos, numa instituição do Estado criada para os proteger; e dos corajosos investigadores da Polícia Judiciária e magistrados que ousaram resistir aos ataques do poder político.

Comento factos públicos: não acuso porque não sou do Ministério Público; nem julgo porque não sou juiz. Por isso, não imputo crimes a ninguém. Mas, como cidadão livre, posso opinar sobre os factos, não me sujeito a qualquer censura e não me vergo perante o poder, nem sequer em processos políticos. Tenho o direito à liberdade de expressar a minha opinião sobre factos e, até creio, a obrigação cívica de intervir politicamente.

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera