a conspiração de papel

Para primeira obra do escritor David Liss “A Conspiração de Papel” (“A Conspiracy of Paper”) ganhou em 2001 o Edgar Award, o Macavity Awards e o Barry Award para o melhor romance de estreia e foi considerado um “New York Times Notable Book”; o que não deixa de ser louvável.

“A Conspiração de Papel” é um romance de mistério que se desenrola no período anterior ao primeiro “crash” bolsista de 1720.

A história segue as deambulações, narradas na primeira pessoa, de “Benjamin Weaver, judeu português, detective, espadachim e um famoso ex-pugilista“, enquanto este tenta descobrir o(s) culpado(s) pelo assassinato de seu pai.
As personagens (umas baseadas em personagens reais, outras totalmente fictícias) estão bem construídas; o ambiente de uma Londres no século XVIII está bem recriado (tão convincente que muitos vezes sinto-me como se estivesse lá); o enredo é denso, cheio de texturas (está cheio de detalhes históricos), mas é tão “teia-de-aranha” que me obrigou a ler página atrás de página até à apoteose.
Nas ultimas páginas é oferecida a visão do destino feliz/infeliz das personagens principais muito ao estilo de filmes baseados em eventos reais.

É uma leitura que recomendo.

0 respostas

Deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.