Archive for month: Dezembro, 2011

em todo o lado

26 Dez
26.12.2011

Deus está em todo o lado? A omnipresença divina é avassaladora e uma falta de respeito. Qualquer vampiro pede licença para entrar em casa; se a autorização não lhe for dada não pode entrar e, muito importante, a permissão pode se revogada a qualquer momento.

Claro que a sorte do Deus é além da sua omnipresença ser imbuído de omnisciência, porque não acredito que quando eu tenha as nádegas estacionadas na sanita em ideal posição de expulsão dos meus demónios interiores Ele esteja na divisão a levar nas narinas com um ataque biológico infernal; mas se lá estiver problema dele – que aguente.

Foram as minhas dúvidas teológicas de 2011.

as minhas leituras de 2011

23 Dez
23.12.2011

De muita leitura saliento os seguintes livros por ordem de chegada:

  • The Coandă Effect, Rhys Hughes (Ex Occidente Press)
    # porque adoro a personagem Corto Maltese; ler uma aventura deste anti-herói foi gratificante
  • Metro 2033, Dmitry Glukhovsky (1001 Mundos)
    # já não me recordava de ler um livro de ficção cientifica com imensa qualidade
  • Eis o Homem, Michael Moorcock (Saída de Emergência)
    # Michael Moorcock no seu melhor
  • Wilt, Tom Sharpe (Teorema)
    # uma história delirante
  • Os Olhos de Allan Poe, Louis Bayard (Saída de Emergência)
    # temos uma história de assassinatos tenebrosa; temos magia negra; alguns fantasmas;
  • Batalha, David Soares (Saída de Emergência)
    # li e reli “Batalha” de David Soares e ainda estou impressionado com a capacidade de inovação de um escritor que me surpreendeu em cada livro que fui lendo; “Batalha” não é excepção – nunca pensei ler David Soares a “poetizar” sobre as verdades da vida de forma tão profunda sob a capa da fantasia.
  • As Mentiras de Locke Lamora, Scott Lynch (Saída de Emergência)
    # leitura vertiginosa e labiríntica.

Tenho para 2012 alguns livros para ler. Terminar a leitura de Os Anos de Ouro da Pulp Fiction Portuguesa, e outros mais.

Batalha é o livro que recomendo sem medo. As restante obras de David Soares editadas em 2011 ainda não foram lidas (aguardo o mês de Janeiro para mergulhar nas páginas). O ano de 2011 foi um annus mirabilis em David Soares; mas ele que me desculpe ainda esperei no Halloween assistir ao lançamento de um livro com contos de horror.

A editora que continua a dar cartas é sem dúvida a Saída de Emergência e o motivo do desbaste da minha carteira.

passeios

22 Dez
22.12.2011

Enche-me de plenitude os passeios nos cemitérios.
Fico inebriado pelo barulho seco do silêncio,
interrompido aqui e ali pela labuta constante dos vermes.

aventuras penianas

22 Dez
22.12.2011

Quando me foi realizada a vasectomia o médico e toda uma imensa equipa tiveram o privilégio de besuntar os olhares na minha pujança peniana. O médico e um enfermeiro tiveram até a lúbrica oportunidade de agarrar em primeira mão o meu aparelho sexual.

Hoje lá terei por outros motivos de me submeter aos olhares e dedos de outro médico; e quando penso nisso pergunto-me ‘onde param as urologistas?’ – hibernaram? não existem? Será que terei alguma vez oportunidade de ser clinicamente examinado por uma médica. Acho que este é o desejo de felicidade médica suprema de qualquer homem, tenho receio, às vezes, seja um pesadelo camuflado de sonho?

não me grite!

20 Dez
20.12.2011

“Não me grite!” é um livro de Quino (Joaquim Lavado) editado pela Dom Quixote na excelente colecção Humor com Humor se Paga (n.º 1) em 1987 Setembro.1985 (3ª edição).

É um livro excelente, como qualquer obra de Quino. Se já sabíamos que é possível descer para baixo e subir para cima as duas imagens que ilustram este post comprovam com facilidade que também se pode descer para cima.

não me grite!, quino

não me grite!, quino

abóbora

18 Dez
18.12.2011

Acho que é que a flor da abóbora.

tron: o legado

15 Dez
15.12.2011

Quando soube que iam fazer um filme baseado no universo “Tron” no primeiro minuto recordei com saudade o “Tron” de 1982; no segundo minuto imaginei que até seria engraçado um novo filme; ao terceiro minuto já estava a pensar noutra coisa.

Passadas os 120 minutos e visionamento do filme fiquei contente por aquele primeiro minuto: recordei com saudade o “Tron” de 1982.

esmolas para os pobres

09 Dez
9.12.2011

Esmolas para os pobres. Braga.

em santa lúzia

06 Dez
6.12.2011

Dentro de Santa Lúzia a caminho do topo.

francesinha

06 Dez
6.12.2011

Uma francesinha. Adorável. Catita.

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera