A humanidade é assim: um acidente e ei-la que se debruça da balustrada para ver. Enquanto houver um farol azul a girar aceso ou um rasto de sangue, continuará a haver alguém a olhar.
A Cicatriz do Mal de Pierre Lemaitre (página 48)
0 respostas

Deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.