OS DIAS DESLIZAM COMO SE FOSSEM LÍQUIDOS. Não tenho mais cadernos para escrever. Também não tenho mais canetas. Escrevo nas paredes, com pedaços de carvão, versos sucintos. Poupo na comida, na água, no fogo e nos adjetivos.
A Teoria Geral do Esquecimento de José Eduardo Agualusa (página 87)

0 respostas

Deixar uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.