Entries by

fundação e império pela saída de emergência

Se no primeiro volume somos atacados pelas gralhas, neste volume é a numeração das páginas que decidiu fazer das suas. Depois da página 224 encontramos a página 229… e procuramos… a 225 e a página 225 está junto à página 232… … e assim sucessivamente – todo fora de ordem. A leitura em tom de […]

alucinante

Tomo um comprimido para controlar um comportamento obsessivo-compulsivo cujos efeitos secundários até 1 em cada 100 pessoas podem ser os exibidos na imagem – alucinante, certo?

as famosas

Fui ao Ikea comprar umas estantes e outros tantos acessórios. Pressionado pelo tempo optei por almoçar no restaurante do Ikea as famosas almôndegas suecas. Concluo que, sim, são famosas; vendem-se como pãezinhos quentes e nisso consiste a sua fama.

uma raposa

Já sei que é visível a imagem distorcida de um marmelo a fotografar, mas que isso não seja uma perturbação para admirar um excelente desenho – uma raposa – por Adele Whittle.

com esta chuva de annemarie schwarzenbach

Contos de viagens. Textos curtos, quase sempre cruéis que espelham uma palete forte de emoções: solidão, inquietude, paixão, desespero, conformismo. Com uma linguagem sem luxos a autora cria cenários febris, personagens exóticas – impossível não gostar desta escrita estimulante. Tradução de Ana Falcão Bastos

fragmento.00450

O quarto no longo corredor vazio. A poltrona, a cama, as paredes nuas, o teto baixo. Sentado no quarto e depois a vaguear pelos corredores, sentia-me reduzido ao meu eu mais diminuto, todas as fantasias presunçosas em torno de mim mirradas até não passarem de devaneios íntimos, porque o que sou eu neste lugar senão […]

apropriação

São as cores, os fazeres, os dizeres – tanta confusão, tanta discussão. Certo dia, certa conversa mais ou menos assim, quando se fez perguntas sobre a raça. Respondi que sou de uma raça filha-da-puta, mesmo filha-da-puta! ‘Que merda de resposta é essa?’ ‘Há dias que me sinto vermelho por dentro e verde por fora. Nesses […]

o colecionador de erva de francisco josé viegas

Esta leitura, ao contrário das outras histórias de Jaime Ramos, tem muito pouco de Jaime Ramos. Não deixa, contudo, de ser um livro brilhante e mesmerizante. Com uma narrativa sensual e poética viajamos por vidas, memórias, tragédias; 20% de investigação, 80% de reflexões – 100% de qualidade.