Archive for category: blog

simon says

06 Ago
06.08.2020

Simon Says follow me!

madrox, o homem-múltiplo

06 Ago
06.08.2020

Aventuras sem muito sabor. Deu para discorrer o tempo entre um livro e outro e descobri uma personagem que desconhecia e pouco mais… ah! excepto que a imagem desta personagem – Fortão – me levou a recordar o fantástico RanXerox, criação máxima de Stefano Tamburini e Tanino Liberatore – histórias lidas na saudosa revista espanhola “El Víbora”, comprada na livraria Bertrand no Porto (Rua 31 de Janeiro).

fortão

A imagem supra levou à seguinte recordação…

ranxerox

Uma personagem com histórias mais do que espectaculares.

posologia

05 Ago
05.08.2020

Quando estou a ler um romance estou quase sempre a ler um livro de contos e um livro de não-ficção. Presentemente estou a ler:

  • O Homem Que Escrevia Azulejos de Álvaro Laborinho Lúcio
  • A Era dos Muros de Tim Marshall (não-ficção)
  • Histórias de Loucura Normal de Charles Bukowski (contos)

Nos últimos 45m antes de ser abraçado por Morfeu estou refastelado a ler no mínimo um conto e um capítulo.

no interior: “o homem que escrevia azulejos”

04 Ago
04.08.2020

Vinheta no interior do livro O Homem Que Escrevia Azulejos de Álvaro Laborinho Lúcio, publicado pela Quetzal Editores, desenhada por Rui Rodrigues.

Aqui temos um violino e, pois, o arco de violino.

(…) Sem uma palavra, erguera-se da mesa, deixara a sala por uns instantes e regressara pouco depois trazendo consigo, dentro do estojo, o violino.

página 52

dualidades

04 Ago
04.08.2020
terry
gregory

As duas capas do livro Sucesso de Martin Amis.

sucesso de martin amis

04 Ago
04.08.2020

É um livro de mentirosos. De mentiras. De enganos. Desenganos. Os dois narradores Terry e Gregory mentem com quantos dentes têm e sem dentes. Enganam-se a si próprios e ao leitor. O leitor é o recipiente último das loucuras, divagações, preocupações dos dois narradores.

a narração de Terry:

— Olá — disse eu. — Como te sentes? Como foi o teu dia?
— Qual dia? — perguntou ele.
— A coisa está má, hein?
— Absolutamente um horror. A manhã de hoje parece tão longe como a infância. Sinto-me tão fraco que não posso fazer nada para passar o tempo. E assim o tempo não passa.
Perante o belo incentivo deste queixume agradavelmente ensaiado, quase deixei cair o meu saco do álcool quando o Gregory disse a seguir, num tom interrogativo:
— Terry, fica cá em cima esta noite e anima-me. Vá lá. Nem sei dizer como estou deprimido. Por exemplo, conta-me o teu dia. Como foi? Anda, serve-te de um copo e senta-te (…)

página 134

e a de Gregory:

— Greg, estas acordado? — chama ele.
— Acho que sim respondo.
— Olá. Como estás? Como to sentes?
— Sobe?
Comovente, isto. A minha doença parece ter tornado fácil ao Terry expressar a sua total preocupação comigo. Todas as outras coisas que empecilham as nossas relações, toda a inveja, espanto e culto do herói passaram para segundo plano por uns tempos.
(…)
E arrancou… para uma história miserável sobre um ou outro daqueles cretinos, labregos e pseudogente que trabalham no mesmo chiqueiro tenebroso que ele.

página 139

No meio de esperanças, narração de sonhos perdidos, conquistas não conseguidas o leitor vai descobrindo duas personagens que se odeiam mutuamente, mas que perfidamente precisam uma da outra para se odiarem – o ódio é o que as une; ódio a si, aos outros.

O humor, o sarcasmo, a ironia são as notas constantes – uma maravilha este “Sucesso” de Martin Amis.

Tradução de Telma Costa

04 Ago
04.08.2020 Ursula evitou-me durante vários dias. Eu evitei-a. Gregory evitou-me. Eu evitei-o. Ele também a evitou, a ela, e ela evitou-o a ele (tenho quase a certeza), o que trouxe algum conforto. Estávamos sempre quase a tropeçar uns nos outros, inevitavelmente. Gostava que pudéssemos deixar de nos evitar o tempo suficiente para chegarmos a acordo quanto a evitar-nos como deve ser.
Sucesso de Martin Amis (página 233)

sucesso do ovo

03 Ago
03.08.2020

Quase sempre a vinheta no interior dos livros da Quetzal Editores têm como ponto de partida algumas palavras da história. A maior parte das vezes não coloco essa referência pois a descubro dias, ou semanas após colocação do post. No presente caso, porque sim, coloco a referência ao ovo da vinheta do livro “Sucesso” de Martin Amis.

(…) Lembro-me de que acabava de despachar a cozinheira com umas palavras duras sobre a consistência do meu ovo quente e, enquanto esperava os 285 segundos necessários à preparação do substituto, recostei-me na cadeira estimulando o paladar com um pedaço de torrada e Gentleman’s Relish.

página 63

livros na palete – posição 043

02 Ago
02.08.2020

Mais uma cenas de autores conhecidos:

  • A Senhora do Lago (vol. I) de Andrzej Sapkowski
  • Histórias de Loucura Normal de Charles Bukowski

E uma banda desenhada: Madrox

02 Ago
02.08.2020 (…) Odeio dormir, de qualquer modo (e quem me dera não sonhar tanto). Nem sei porque é que ainda me ralo com isso. Tudo pode acontecer quando se está a dormir. Dormir só serve para apanharmos areia nos olhos.
Sucesso de Martin Amis (página 37)
© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!