cansaaaaaaaaaaativo!

Quando o sonho tem como personagem principal uma caixa que tem de ser embrulhada com papel que não existe é um tumulto mental – cansaaaaaaaaaaativo!

Quando o sonho tem como personagem principal uma caixa já embrulhada em papel, mas sem fita cola para o manter colado é um tumulto mental – cansaaaaaaaaaaativo!

Odeio estes sonhos tão abstratos, tão estúpidos. Saio sempre desse limbo onírico cansaaaaaaaaaaado. Realmente cansaaaaaaaaaaado.

queixas e queixas

Se quando as pessoas não usavam máscara eu já não as reconhecia quando se cruzavam comigo, como é que agora as mesmas se podem queixar?


tão rodeado de pessoas alienadas e estúpidas que até me assusto. (update 17h29)

aqui se fala também de pessoa

(…) Berrando, como ele próprio escrevia[1], pensava defender uma inocência do eu virgem e selvagem. Gabava-se, com desprezo, de não ser um empregado, como se isso lhe garantisse uma especial autenticidade e como se as trocas de murros de Hemingway tivessem de ser, a priori, mais poéticas do que as tarefas de escritório despachadas por Kafka. Utilizar o termo «empregado» como uma injúria não passa de uma vulgaridade banal: pelo menos Pessoa e Svevo teriam acolhido o empregado como um justo atributo do poeta. (…)
Kafka e Pessoa viajam não até ao fim de uma noite tenebrosa, mas de uma mediocridade incolor ainda mais inquietante, na qual damos conta de ser apenas um cabide da vida e no fundo da qual pode haver, graças a essa consciência, uma extrema resistência da verdade.
Danúbio de Claudio Magris (páginas 59/60)
[1] Louis Ferdinand Destouches, dit Louis-Ferdinand Céline, né le 27 mai 1894 à Courbevoie et mort le 1er juillet 1961 à Meudon, connu sous son nom de plume généralement abrégé en Céline, est un écrivain et médecin français. Il est notamment célèbre pour Voyage au bout de la nuit, publié en 1932 et récompensé par le prix Renaudot la même année.
Considéré comme l’un des plus grands novateurs de la littérature du xxe siècle, « d’une stature exceptionnelle, au rôle décisif dans l’histoire du roman moderne» estime George Steiner, Céline introduit un style elliptique personnel et très travaillé, qui emprunte à l’argot et tend à s’approcher de l’émotion immédiate du langage parlé. À propos de son style, Julien Gracq dira : « Ce qui m’intéresse chez lui, c’est surtout l’usage très judicieux, efficace qu’il fait de cette langue entièrement artificielle — entièrement littéraire — qu’il a tirée de la langue parlée. »
Céline est aussi connu pour son antisémitisme. Il publie des pamphlets virulents dès 1937 (année de la parution de Bagatelles pour un massacre) et, sous l’Occupation durant la Seconde Guerre mondiale, il est proche des milieux collaborationnistes et du service de sécurité nazi. Il rejoint en 1944 le gouvernement en exil du Régime de Vichy à Sigmaringen, épisode de sa vie qui lui inspirera le roman D’un château l’autre, paru en 1957.

Wikipédia

fragmento.000476

A História só adquire a sua realidade mais tarde, quando já passou, e as ligações gerais, instituídas e escritas nos anais anos depois, conferem a um acontecimento o seu alcance e o seu papel. Recordando a derrocada búlgara, acontecimento decisivo para o desfecho da Primeira Guerra Mundial e portanto para o fim de uma civilização, o conde Károlyi escreve que, enquanto o vivia, não dera conta da sua importância, porque, «nesse momento, “esse momento” não se transformara ainda “nesse momento”».
Danúbio de Claudio Magris (página 46)

prateleira.0003

Nesta prateleira quase só banda desenhada.

No lado esquerdo uma colecção de cromos de animais. No topo jornais, Barcelos Popular, nos quais constam crónicas minhas da década de 80/90 do século passado.

Revistas da Mônica em Inglês e Espanhol.

donauquelle

A estátua junto à fonte de Donaueschingen mostra o Danúbio como uma criança de tenra idade nos joelhos de uma figura feminina representando a Baar, a aprazível região de colinas que em redor se desdobra. Esta imagem infantil é insólita na iconografia do grande rio, que aparece geralmente retratado numa efígie de maturidade majestosa e potente, como na estátua da fonte que no prospeto adorna o palácio da Galeria Albertina em Viena. (…)
Danúbio de Claudio Magris (página 47)
fonte de neptuno – museu de albertina – @ footsteps – jotaro’s travels

“las castas”

(…) O painel gostaria de classificar e distinguir rigorosamente — até no traje — as castas, sociais e raciais, mas acaba por exaltar involuntariamente o jogo caprichoso e rebelde do eros, o grande destruidor de qualquer hierarquia social fechada, que confunde e baralha as cartas ordenadas, que mistura os ouros às copas ou às espadas para tornar possível e aprazível o jogo.
Na penúltima casa, o fruto dos amores do Tente En El Aire e da Mulata deixa perplexo o talento taxonómico do classificador anónimo, que efetivamente o define como «Noteentiendo».
Danúbio de Claudio Magris (página 39)

em casulo

Deitado no sofá do meu antigo escritório, tapado por uma manta, mãos enfiadas nos bolsos das calças, com o termoventilador a espirrar farrapos de calor, comecei a sentir uma saudável languidez a assaltar-me o corpo. Saí para trabalhar já crisálida.

Naquele casulo e durante 15 minutos tive o melhor momento do dia.

de lado – 0125

Qual o melhor método para evitar o ressonar? Não dormir, claro!

from the perverse mind of paulo brito