Archive for category: blog

lisbon oceanarium

01 Ago
01.08.2002

the only usable pictures made at the lisbon oceanarium.

milestone i

07 Jul
07.07.2001

Um dos locais onde está perpetuamente enterrada a minha inocência.

sentido

29 Set
29.09.1999

Não sei de onde efectuei esta tradução. Tinha isto na pasta antiga.portaviii.tempo (29.09.1999). Lembro-me que era de uma página sobre Maurice Maeterlinck(?)

O que é da vida vivida por entes sofredores que se movem no mistério de uma noite. Eles nada mais sabem que sofrer, sorrir, amar; quando desejam compreender, o esforço da sua inquietude transforma-se em angústia e a sua revolta se esvai.
Incitar, incitar sempre caminhadas preguiçosas do calvário que terminam dolorosamente em frente a uma porta de aço fria e cruel.
Tempos idos o sentido da vida era conhecido; agora os homens não ignoram que o essencial, pois sabem qual o fim da viagem e em que estalagem se encontra o leito de repouso.
Quando a ciência, a mais elementar, elevada, divinizada, julga aligeirar os fardos e uns se alegram; outros lamentam-se, sentem bem que de todos os fardos um foi ignorado: o fardo da dúvida. E só esse é o mais pesado de todos.
No meio de toda essa angústia existe uma ilha e na ilha existe um castelo, e no castelo há uma sala enorme iluminada apenas por uma pequena vela, e na grande sala estão pessoas que esperam. Esperam o quê? Não o sabem. Esperam que batam à porta, elas esperam que a vela se apague, elas esperam o Medo, elas esperam la Mort. Elas falam; sim, elas dizem palavras que perturbam um instante do silêncio, depois elas escutam novamente. Elas escutam e esperam. Ela não virá, talvez? Ela virá certamente. Ela vem sempre. Hoje é tarde virá, talvez, só amanhã. As pessoas na sala enorme esperam e sorriem. Alguém bate. E é tudo; é toda uma vida, é toda a vida.

reasons… death…

28 Fev
28.02.1999

A world of immortality is inherently inconceivable, if not downright unpleasant to think about.
Sustaining life (or postponing death, depending on your point of view) is what makes life worth living.
Eating, sleeping, working, playing, procreating… this is all the process of sustaining our lives; of avoiding death.
Having a life without death would be like having a bicycle without pedals.
It just wouldn’t go anywhere or do anything.
There would be no reason for it.

from somewhere

Encontrei isto na minha pasta TEMPO. O ficheiro .txt tinha a data de 1999 A.D. (?)

© 1999.2020 p__o_r_t___a_v_i__i___i ______________________________. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!