Archive for category: rabiscos

a margarida e eu, versão naïf

06 Ago
6.08.2010

Mais um vez sou vitima do olhar fulminante da minha filha. Sou o seu modelo preferido.
– És tu pai!
– Uau, ainda estou para descobrir como descobres o meu verdadeiro eu!

Bem, até que desta vez desenhou vulcões.

versão naïf, eu

versão naïf, eu again

versão naïf, eu again & again

versão naïf, vulcão

versão naïf, vulcão

o pai, segundo a margarida

14 Jul
14.07.2010

A minha filha ofereceu-me dizendo que este “és tu, pai”.
Que amor, ela consegue ver-me muito mais “plano” do que aquilo que realmente sou.

Que sorte eu tenho.

o banho da margarida

06 Jul
6.07.2010

Na quinta-feira? passada a minha mulher saiu de casa para apanhar o filho mais velho na casa de um familiar. Fiquei responsável pelo banho da mais pequena.
A minha mais-que-tudo deu as instruções da forma mais perfeita e com a indicação de serem executadas numa dada sequência:

  • usas o champô verde da Johnson, aquele ali – apontou -, que é o indicado para ela
  • deves enxaguar o cabelo várias vezes por causa dos caracóis
  • no fim do banho secar bem com uma toalha – suavemente, não estás a limpar os pratos
  • não te esqueças do amaciador para pentear os cabelos. Sem isso o pentear vai doer porque tem os cabelos cheios de caracóis
  • penteia para baixo
  • agarra no cabelo se isso te ajudar

“Percebido?”
“Claro e cristalino!” – respondi, apenas, para a despachar rapidamente da casa. As instruções eram avassaladoras. E isto é que retenho ainda de memória.

Das vezes anteriores que dei banho à Margarida apenas a meti na banheira; usava o champô/gel que tinha um qualquer boneco infantil; deixava-a brincar durante imenso tempo na água da banheira; puxava o tampão do ralo para a água escoar (evitando assim choros – “a água fugiu… oops”); secava-a com uma tolha sacada ás cegas do armário; ela escolheu as cuecas que queria vestir; e…. tudo executado numa caótica perfeição.

Desta vez olhei apalermado para a quantidade de champôs, geles e outros frascos que existem na casa de banho. Após a saída da mulher já na sala, sentei-me no sofá a ruminar no stress que me tinha sido imposto por aquelas instruções. O banho deixou de ser uma coisa divertida de fazer e tornou-se num qualquer fluxograma complexo.

“Miúda… não te apetece fazer alguma coisa de especial?”, perguntei esperançado por uma fuga ao banho.
“Podíamos ir ao Subatha… estou com fome!”, respondeu com um tom de salutar mimo; a lançar o isco.

“Olha, a miúda disse que estava com fome. Quando vieres passa pelo Subatha. Estamos por lá à vossa espera. Ah! E o banho? Depois dás tu o banho, não vou deixar a rapariga com fome que ela quer abafar com umas salsichas grelhadas e ketchup…. pois ela jantou bem, mas sabes como são as crianças… até já?!” – telemóveis adoráveis.

Já no Subatha a beber um suave Jameson sem gelo e a admirar os rodopios da minha filha ao som de uma música ambiente verdadeiramente relaxante não pude deixar de pensar que a sua escolha foi inteligente.

mais um

24 Mai
24.05.2010

Desde que coloquei dois desenhos com alguma ideia do que está desenhado fui hoje sujeito a chantagem – com um simples beijo – para que este desenho fosse virtualizado porque é diferente dos outros todos.

Já se nota a grandiosa habilidade com que ela desgasta qualquer lápis. Não é para todos, tenho de reconhecer.

os primeiros desenhos, desenhos?

18 Abr
18.04.2010

Os dois primeiros desenhos com alguma? qualidade? do rebento de três anos.
O primeiro é o Shrek o segundo o homem da neve.

homem da neve

forte vs gordo

17 Abr
17.04.2009

A caminho de casa e ao passar junto a camiões carregados com carrosséis para as próximas Festas das Cruzes a minha mulher diz à nossa filha:
– Já viste Margarida os camiões com os carrosséis para depois tu brincares?
– Mas eu tenho medo. E sem demora diz em tom trocista: – Não tenho não. Pai, tu podes ir comigo, não podes?
– Claro que posso ir Margarida.
– Mas tu és gordo. Olho para ela com uma cara de estupefacção e ela returca:
– Poooisss tu és forteeee. Gordo é o Sérgio Go’dinho.

Claro que dei boas e valentes gargalhadas.

caras & setas

10 Fev
10.02.2009

Descobri esta minha obra de arte popular num papel de rascunho.

o dia seguinte

01 Ago
1.08.2008

Vejamos um perfeito exemplo de verdadeira contra publicidade.
Se uma menina, mulher, donzela, senhora, senhorinha ou pura e simplesmente uma putinha, para não usar a palavra puta, tomar a pílula do dia seguinte no dia seguinte a ter sexo sem protecção contraceptiva e nesse dia mesmo dia, que é o dia seguinte ao anterior, mas também o dia anterior ao seguinte, acometer-se novamente a sexo celestial sem as necessárias medidas de protecção contraceptiva será que no dia seguinte a esse dia, que já foi dia seguinte do dia anterior, terá de tomar novamente a pílula do dia seguinte? Será que estaremos perante o mito do eterno retorno tão querido das filosofias pré-cromáticas? Ou é apenas uma caça camuflada aos gambozinos? Ou será a razão para Santo Inga ser um autêntico baldas? Ou será esse o motivo para galinha ser galada e muitas das vezes se perder no meio da estrada? Hummm. E ela hoje não veio de madrugada.

Porque não recorrer a uma boa poção da Companhia de Multi-Serviços 1.2rc2 que tem como únicos efeitos secundários o facto de viciar e causar azia?

arrisca-te

06 Mar
6.03.2008

Arrisca-te. – disse ele com aquela petulância difícil de disfarçar e que caracterizava os seus piores momentos. Momentos que ocorriam em apenas três situações. Quando o Porto perdia ou quando o Benfica ganhava. E nas raras vezes que prendia os reduzidos testículos ao fecho das calças. Aquela mania de andar quase in natura tinha os seus riscos.
Não te sentes melhor? – insistia ele.
Inicialmente pensei que ele estava a discorrer frases pelo prazer de se ouvir, ou melhor, pelo prazer de se escrever. Erro meu. Erro obtuso. Ele estava sistematicamente a me provocar.

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera