folding & crunching

14 Mai
14.05.2009

Desde 03.04.1999, com o seti@home, que utilizo os meus computadores em projectos de computação distribuída, mas como “perdi” o login e o email da minha conta seti@home inicial vi-me obrigado a criar uma nova conta em 2002.

UPdate, os meus projectos

velhas e novas aventuras

12 Mai
12.05.2009

— Esperem — disse eu. — Penso que acaba de desmaiar.
— Disparate — berrou Wolfe. — As mulheres não desmaiam.
Já tinha ouvido essa antes. A sua base não era médica, antes pessoal; ele está convencido de que, a não ser que tenha uma boa razão, tal como ser agredida com um taco, qualquer mulher que desmaia está só a representar, um subtítulo do seu princípio fundamental de que todas as mulheres estão sempre a representar.

página 184

Desta feita dediquei-me a ler três aventuras com Nero Wolfe (Trindade Homicida). Foi um livro, apesar da mediania das três histórias, agradável de ler. Para mim é sempre divertido sentir a vida de Nero Wolfe.

Actualmente tenho na mão um pastiche de Sherlock Holmes – As Vitórias da Lógica (1910) – escrito por Gustaf Adolf Bergström. Bergström é o primeiro escritor em Portugal a acrescentar novas aventuras ao universo do ímpar Holmes.

Deve ser uma leitura interessante tendo em conta que até agora só tinha lido a obra “Sherlock Holmes contra Jack o Estripador” de Ellery Queen pelas Edições 70, na colecção Alibi, n.º 1 (1983).

a verdadeira invasão dos marcianos

10 Mai
10.05.2009

– Pronto? Agora fecha os olhos, descontrai-te, isto não vai demorar nada…

página 110

Não gostei desta obra. E com isso não quer dizer que a detestei.

O que me custa, verdadeiramente, é aceitar que são apenas 160 páginas de fc pura. Isto não se faz. Ponto final.

os pormenores

06 Mai
06.05.2009

Quando os pormenores originam mais de 150 palavras.[1]

A minha tentativa de agrafar duas folhas de papel foi um fracasso. Não pela falta de agrafos, mas pela impetuosa decisão do meu indicador se interpor entre as folhas e o viperino agrafo.

Amaldiçoei o inanimado agrafo e fui à casa de banho refrescar a ferida com água corrente. Limpei as mãos com um papel de limpeza de mãos e a pedido da água fresca a bexiga pediu o seu esvaziamento. Atirei com extrema diligência a folha para o interior da sanita e vi-a flutuar. Peguei no meu falo e disparei

chegado aqui reparei no facto

  • daquele som ruidoso da urina estar alegremente abafado
  • os pingos saudavelmente amarelos não se erguiam assustadoramente

e lembrei-me que poderia ser um técnica válida para enganar o sono mais que leve da minha cônjuge quando a teimosia do comando da televisão fizer com que a noite na sala de estar se arraste para horas pouco recomendáveis a um bonus pater familiae e for necessária uma deslocação à casa-de-banho. Sem esquecer que posso cronometrar o tempo que demora a total submersão do papel através da movimentação cuidada da minha mangueira fálica.


[1] podia ser sem sombra de dúvida o título de dum capítulo de uma qualquer obra de Walter Scott.

dead auto

05 Mai
05.05.2009

carro completamente despedaçado.

flower n.06

05 Mai
05.05.2009

Another beautiful flower.

por barcelos 1.0

03 Mai
03.05.2009

Um pequeno instantâneo recolhido em Barcelos.

ameaça virtual

29 Abr
29.04.2009

Eis a questão.
Todos os idiotas percorrem a sua vida pensando que são especiais.
É o conceito do solipsismo, em que suspeitamos que tudo gira à nossa volta e de mais ninguém. Será que nascemos com isso? Provavel­mente. Quando descobrimos a empatia, é suposto deixarmos esse con­ceito para trás, mas duvido que alguém o faça realmente. Os monges Zen passam a vida a tentar. Mas é difícil. Há sempre a possibilidade, por mais remota que seja, de não existir nada fora das nossas cabe­ças. De sermos a estrela do espectáculo. De todas as outras pessoas não passarem de personagens secundários. E, quando morremos, rudo deixa de existir.
– Depois de mim, o dilúvio – poderia ter dito Luís XV. Quando eu partir, acabou, por isso, para quê preocupar-me?

página 175

Ameaça Virtual, Nick Sagan // título original: Idlewild // editor: Editorial Presença, colecção Viajantes no Tempo, n.º 19

railway ii

24 Abr
24.04.2009

Trilhos de ferro. A sair de Barcelos.

railway i

24 Abr
24.04.2009

Trilhos de ferro. A sair de Barcelos.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!