a casa quieta

15 Nov
15.11.2009

Um casal ri, a subir. Um homem de ar preocupado consulta o telemóvel. Mariana procura adivinhar que problema lhe provoca aquela ruga na testa. Quem será. Como se chamará. A vida dos ouros parece-lhe agora interessante. A vida parece-lhe interessante. Eles sobem, ela desce. Eles sobem.

página 186

Foi livro que não conseguir ler.
Nesta altura do campeonato não consigo ler livros que me obrigam, pela forma como estão escritos, “poeticamente”, a uma grande concentração.
A culpa não é de Rodrigo Guedes de Carvalho e muito menos d’ “A Casa Quieta”. O culpado apenas eu.

and why not

14 Nov
14.11.2009

Mais uma parede decorada.

antes morrer que matar

10 Nov
10.11.2009

Abri e fechei a boca, mas não saiu nenhum som. Fiquei parado a olhá-lo.

página 132

No final do livro também fiquei apalermado. Tanta coisa, suspense, trama, tramóia, para a sujeita se suicidar estupidamente. Haja paciência.
Esquecendo isso é um policial que se lê em poucas horas.

este homem é perigoso

08 Nov
08.11.2009

Quando eu era miúdo ouvi um tipo qualquer dizer um provérbio que ainda hoje tenho presente: «Quando estiveres em dúvida, deixa-te ficar quieto». Tenho verificado que este provérbio é muito bom e, quando estou em dúvida a respeito de qualquer situação, deixo-me ficar muito sossegado. Acredito que as coisas acabarão sempre por se esclarecer por si próprias.

página 75

Gostei particularmente da forma como a história é contada apesar de serem quase sempre muito previsíveis as narrações na primeira pessoa. Este livro não foi excepção.
Leitura fácil e sem complicações. As suas 206 páginas foram papadas em 2 noites de pouco sono.

fast food

08 Nov
08.11.2009

Estou de dieta rigorosa há mais de 25 dias. Perdi com isso já 10 quilos. Não sigo as indicações do médico, porque como ainda menos do que ele aconselhou. Nada de batatas, fritos, massa, arroz…

Ontem fiquei com a minha filha em casa enquanto a minha mulher foi à missa de sétimo dia do meu ‘vozinho. Não me sentiria, desta vez, confortável, apesar do motivo, em estar numa cerimónia religiosa quando me sinto ultimamente um existencialista ateísta e emocionalmente quebrado.
Às 20.30, mulher em casa. O meu filho entretanto regressa vindo da casa da sua avó materna. Disse-me, contudo, que ainda não tinha jantado.
Oops, enganei-me nas horas
e esqueci-me do facto de ele ter pedido jantar em casa da avó.
Questionado sobre o queria comer sem gaguez disse McDonald’s, a irmã ouviu, gritou batatas-fritas e eu respondi ao miúdo que não estava para ir ao McDonald’s comer fritos quando ele sabia que eu já não estava nessa onda.

– Não vais morrer por comeres um hambúrguer – disparou ele.

Fuck! Fomos então.
Até fui satisfeito porque sempre adorei aquela fastfood. E, afinal, que se foda. Uma não são vezes. Ou lá o que seja que se diz.

McChicken (para reduzir os danos), batata média e Coca-Cola média lá trouxe para a mesa. Os filhotes adoraram, naturalmente. Eu ao primeiro golo de Coca-Cola pasmei pela ausência de prazer que tive; uma batata originou apenas um “mas que é isto”; o hambúrguer que deveria ser delicioso ficou parado em pasta na minha boca.
Enjoar com um menu McChicken não é normal. O que se está a passar comigo? Em que me estou a transformar? Acontecerá o mesmo quando decidir festejar com uma McChouffe e com uma francesinha? Em que me estou a transformar?

a piscina silenciosa

08 Nov
08.11.2009

– E que devo eu responder?

página 157

A personagem Miss Silver, detective anciã, criação de Dora Amy Dillon Turnbull (1878-1961) aka Patricia Wentworth não me convenceu. Um dos livros vítimas das minhas insónias que não serviu qualquer propósito excepto ajudar-me a ultrapassar a noite.

torre de menagem

06 Nov
06.11.2009

É um lindo exemplo de arquitectura existente em Barcelos.

as aranhas douradas

02 Nov
02.11.2009

— Não me consultaste — prosseguiu Wolfe com frieza. — Descobrir que um dos meus pratos preferidos foi radicalmente alterado, sem qualquer espécie de aviso. é um choque desagradável. Talvez seja comestível, mas não estou com disposição para correr esse risco.

páginas 5 e 6

Foram 174 páginas lidas em poucas horas. A noite de ontem, e a de hoje vai pelo mesmo caminho, não puxava o sono. Daí que me tenha socorrido de um companheiro solitário para servir distracção, mas foi pouca distracção para me permitir adormecer.

Apenas pelas 07.?? é que fechei os olhos bastante ensonado e cansado.

janelas e varandas

01 Nov
01.11.2009

Uma perspectiva de varandas/janelas da Rua Barjona de Freitas, Barcelos.

office

01 Nov
01.11.2009

Um ex-escritório.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!