Tag Archive for: arturo pérez-reverte

eva de arturo pérez-reverte

28 Abr
28.04.2020

Em 1937, enquanto a Guerra Civil segue o seu trágico caminho, uma nova missão leva Lorenzo Falcó até Tânger, turbulenta encruzilhada de espiões, tráficos ilícitos e conspirações internacionais. O seu objetivo? Conseguir que o capitão de um navio carregado com ouro do Banco de Espanha mude de bandeira.

Bertrand

O segundo livro com a personagem Lorenzo Falcó não deixa a acção, a violência, a sedução em quarentena.

Adorei. Arturo Pérez-Reverte continua a não desapontar.

falcó de arturo pérez-reverte

19 Jan
19.01.2020

Em 1936, no início da Guerra Civil Espanhola, Lorenzo Falcó move-se por entre as sombras do submundo. Ex-contrabandista de armas, espião sem escrúpulos, encontra-se agora a trabalhar para os serviços de inteligência franquistas. A sua missão? Libertar um detido da prisão. Tem Eva Rengel e os irmãos Montero como companheiros. (E, quem sabe, vítimas? Pois os tempos são traiçoeiros, e nada é o que parece.)

Bertrand

Na guerra não há heróis. Apenas os que morrem e os que conseguem sobreviver e muita, mas muita insanidade.

Adorei.

19 Jan
19.01.2020 A noite é neutra, disse para si. Não toma partido por um nem por outros, e ajuda a quem a põe do seu lado. A quem a utiliza.
Falcó de Arturo Pérez-Reverte (pág. 238)

livros na palete – posição 020

24 Nov
24.11.2019

Estas são as entradas da semana:

o tango de jorge luis borges

23 Fev
23.02.2019

O Tango por Jorge Luis Borges é um livro sumarento. Cheio de pormenores deliciosos.

E, já agora, o livro de Arturo Pérez- Reverte “O Tango da Velha Guarda” consegue transportar sem dificuldade o leitor para o ambiente do tango dançado nos prostíbulos de Buenos Aires.


eva

12 Fev
12.02.2019

Aqui está o segundo livro da série Falcó.

arturo pérez-reverte

22 Set
22.09.2018

A minha prateleira com todos os livros adquiridos de Arturo Pérez-Reverte

coisas de setembro, 2017

01 Out
01.10.2017

As leituras de alguns fins-de-semana e não só.

Um pouco de banda desenhada:

  • Estação de Brooklyn – Terminal do Cosmos de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Os Espectros de Inverloch de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • A Ira de Hypsis de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • A Grande Fronteira de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • As Armas Vivas de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Os Círculos do Poder de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Os Livros da Magia de Neil Gaiman
  • Homem-Aranha vol. 4: A Ascensão do Escorpião / Miles Morales
  • Tokyo Ghoul #8 de Sui Ishida
  • K.O.Telavive de Asaf Hanuka
  • Homem-Aranha vol. 5: Entre a Terra e o Céu – que grande desilusão

Um pouco de outras coisas mais:

  • O Mestre de Esgrima de Arturo Pérez-Reverte
  • Gente Independente de Halldór Laxness
  • Ready Player One de Ernest Cline – deliciosa. Trouxe tantas recordações.
  • Auto-retrato do Escritor Enquanto Corredor de Fundo de Haruki Murakami
  • Robopocalipse de Daniel H. Wilson

o francoatirador paciente de arturo pérez-reverte

24 Jul
24.07.2017

Sniper é uma lenda viva no mundo da arte de rua. Subversivo e omnipresente na tela urbana, ninguém conhece a sua identidade, poucos terão visto o seu rosto, não há relatos do seu paradeiro. Quem é o verdadeiro Sniper por detrás deste enigma que o mistifica? É um heroico cruzamento de Salman Rushdie e Banksy, um justiceiro solitário? Ou um terrorista urbano, um egomaníaco cujas ações já se revelaram fatais?
Alejandra Varela, especialista em arte, decide seguir os passos deste homem sem lei. Uma mira telescópica de francoatirador assina todos os trabalhos de Sniper, e é essa mira que leva Alejandra a infiltrar-se no submundo de Madrid e Lisboa, Verona e Nápoles. Cidades que são os campos de batalha prediletos deste caçador solitário. Mas, a coberto das sombras, uma outra pessoa aguarda para descobrir o paradeiro de Sniper, embora as suas motivações sejam bem diferentes…
Segue-se um formidável duelo de inteligências, um jogo de perseguição entre caçador e presa cujo final é, no mínimo, surpreendente.

Edições Asa

Livro lido neste fim-de-semana – ufa!

Gostei. Sim gostei.

o tango da velha guarda de arturo pérez-reverte

11 Jul
11.07.2017

1928. No salão deserto e silencioso de um transatlântico que navega pela noite dentro, um casal dança um tango ainda por escrever…
Ela é Mecha Inzunza, uma mulher enigmática e melancólica. Ele é Max Costa, um elegante fura-vidas. Rumam a Buenos Aires, onde Armando de Troeye, marido de Mecha e músico afamado, enfrenta um extravagante desafio. Ao abrigo das ruelas lúgubres e ilícitas da cidade, nasce entre Mecha e Max uma história de amor arrebatadora que será precocemente interrompida. Voltarão a encontrar-se apenas duas vezes ao longo das suas vidas.

Em 1937, numa intriga de espionagem na Riviera Francesa, um dos destinos preferidos da alta sociedade europeia. E em Sorrento, 1966, durante uma inquietante partida de xadrez. Aqui, o tempo é já de nostalgia. O jogo dos amantes está perto do fim. A sua paixão acompanhou o esplendor e a decadência da Europa do século XX e transcendeu o tempo e a distância. Sempre presente e sempre impossível.

Dois amantes dotados de um carisma apenas possível aos grandes personagens de ficção. O século XX como cenário teatral onde decorrem paixões, intrigas, aventuras e reencontros.
Esperança e nostalgia. Luz e sombra. Arturo Pérez Reverte escreveu um romance trepidante e criou com Mecha Inzunza uma heroína épica e definitiva.

Edições Asa

Outro livro de Arturo Pérez-Reverte que teve de ser lido de rajada. Só se tem sossego quando se chega ao fim da leitura e nem assim – existem sensações que perduram.

História fascinante. Personagens memoráveis. O mar marca a sua presença e, também, o xadrez.

Escritor que ainda não me desapontou.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!