Tag Archive for: banda desenhada

sete para a eternidade, vol 1 de remender e opeña

08 Jul
08.07.2020

Uma banda desenhada realmente brutal, visceral, nos textos, nos desenhos e nas cores.

Sete Para a Eternidade de Rick Remender, Jerome Opeña & James Harren (que desenha os #7-8 de Sete para a Eternidade e aqui os desenhos perdem quando a mim um pouco de fôlego) tornou-se numa leitura tensa, estranha, memorável.

A ideia, até pode não ser nova, mas a execução é brilhante.

G Floy para quando o segundo volume?

Tradução de Filipe Faria

livros na palete – posição 039

05 Jun
05.06.2020

As compras não têm sido muitas. Esta semana foi uma excepção.

Tive de aproveitar o bom desconto e comprei o livro 1984 e o primeiro volume de dois de Sete para a Eternidade.

snowpiercer, a série

03 Jun
03.06.2020

Snowpiercer, a série, com Jennifer Connelly não vale nada. Foi com esforço que vi o primeiro episódio, pensando “okay isto até pode melhorar” – erro meu.

A série descarrila.

A única cena engraçada foi quando li alguns comentários sobre a série em que uns iluminados disseram que melhor, mas mesmo melhor foi o filme original? Ah! Como?

Pesquisem um pouco, a Internet está aí para isso. O original é a banda desenhada franco-belga “Le Transperceneige” de 1982, de Jacques Lob (argumento) e Jean-Marc Rochette (desenhos) e que vai ter graças, felizmente isto, ao lançamento da série uma edição em Portugal em dois volumes:

  • Transperceneige/L´Échappée 1984
  • L´Arpenteur 1999
  • La Traversée 2000

watchmen (vol. 10): a hora final

06 Mai
06.05.2020

Edward Blake, o Comediante, e um dos mais famosos super-heróis do mundo, foi encontrado morto. Rorschach, um vigilante mascarado, decidi iniciar uma investigação… E começa uma viagem que vai levar os protagonistas cada vez mais fundo, para o coração secreto deste mundo de super-heróis, e para a descoberta que as aparências não são o que parecem.

Volume final da série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank. Foi uma série que no seu todo brilhou, mas não ofuscou.

Tradução de Filipe Faria

watchmen (vol. 9): crise

30 Abr
30.04.2020

Quase no final a série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank. Continua a brilhar!

Onde estão os membros da Sociedade da Justiça e, mais importante ainda, quem são? E o que vem a ser a Legião dos Super-Heróis? À medida que as respostas aos mistérios que perseguem os nossos heróis começam a surgir, uma coisa é certa. O Universo DC nunca mais será o mesmo, e o papel central do Super-Homem será por fim desvendado.

Tradução de Filipe Faria

watchmen (vol. 8): não há deus

29 Abr
29.04.2020

Aqui se dá seguimento à série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank. Continua a brilhar!

O mundo está a mergulhar no caos, desestabilizado pela bizarra Teoria dos Super-Homens, e um conflito internacional de proporções imensas começa a ganhar forma… E, no centro de tudo, heróis e vilões de vários mundos tentam descobrir a verdade. Lex Luthor e Ozymandias, Satúrnia, Mímico, Marioneta e Joker, Rorschach e Batman e muitos mais lutam para parar a contagem final em direcção ao Apocalipse.

Tradução de Filipe Faria

o homem que matou lucky luke de matthieu bonhomme

25 Abr
25.04.2020

Destruí a lenda! Matei Lucky Luke!
Ao chegar a Frog Town numa noite de tempestade, Lucky Luke, além de ter de enfrentar o bando dos irmãos Bones, não imaginava que estava prestes a encontrar o homem que o iria matar.
Matthieu Bonhomme criou esta maravilhosa homenagem ao cowboy de Morris por ocasião do 70.º aniversário da personagem, num álbum vencedor do prémio do público em Angoulême, reinventando o cowboy solitário criado por Morris numa magnífica história que, entre outras revelações, explica o motivo por que Lucky Luke deixou de fumar!

A Seita

Livro cheio de referências à cultura popular, começando logo pela capa em clara homenagem a Clint Eastwood dos filmes que compõem a “Trilogia Dólares” realizado por Sergio Leone.

O álbum, “O Homem que Matou Lucky Luke”, publicado em 2016 no ano em que se comemoraram os 70 anos da criação do famoso personagem por Morris, faz parte de um série intitulada “Lucky Luke (visto por …)”.

Esta criação de Matthieu Bonhomme é simplesmente maravilhosa em todos os seus detalhes: argumento, desenhos, cores.

Não me desapontou em nada. E não foi à toa que o álbum recebeu o prémio belga Saint-Michel para o Melhor Álbum em 2016 e os Prémios do Público Cultura e dos Liceus no festival de Angoulême em 2017.

Um livro para quem gosta de coisas mesmo boas.

Estou ansioso por mais duas edições d’ A Seita da série (visto por…): “Lucky Luke Muda de Sela” e “Jolly Jumper Não Responde”

Tradução por Sandra Alvarez

livros na palete – posição 038

24 Abr
24.04.2020

Umas pequenas entradas:

  • The Last Emperox de John Scalzi
  • Uma Casa Para Mr. Biswas de V. S. Naipaul
  • Zero K de Don Delillo

watchmen (vol. 7): todos estamos loucos

23 Abr
23.04.2020

Neste volume continua a série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank.

Anos depois de ter desencadeado um cataclismo que matou milhões no seu mundo, Adrian Veidt embarca numa busca para se redimir do seu crime. Acompanhado pelo novo Rorschach e pelos estranhos Mímico e Marioneta, persegue o Dr. Manhattan até ao Universo DC, que está agora à beira do colapso interdimensiona…

Tradução de Filipe Faria

watchmen (vol. 6): o início

19 Abr
19.04.2020

Aqui se termina o arco “The Button” e se dá início à saga “Doomsday Clock”.

No “The Button” temos Tom King e Joshua Williamson no argumento; e Jason Fabok e Howard Porter nos desenhos.

No “Doomsday Clock” temos o argumento de Geoff Johns e os desenhos de Gary Frank.

Na conclusão de The Button (uma história de 4 partes, cujos 2 últimos capítulos estão incluídos neste volume), Batman e Flash têm de unir forças contra os seus duplos maléficos de outra dimensão. Este volume traz também a primeira parte de Doomsday Clock. Na Antártida, na base secreta de Ozymandias, o destino do universo de Watchmen vai jogar-se, naquilo que talvez seja um novo começo.

Tradução de Filipe Faria

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!