Artigos

o expresso do amanhã (os sobreviventes) de lob e rochette

Pouco à dizer sobre esta obra – louca!

Tradução de Pedro Cleto

a caravana de morris & goscinny

Histórias que valem sempre a pena reler – sorrisos garantidos.

Tradução de Paula Caetano

livros na palete – posição 044

Ok, dois de Alberto Manguel – ofertas e mais um de Lucky Luke:

  • A Biblioteca à Noite e Alberto Manguel
  • Embalando a Minha Biblioteca de Alberto Manguel
  • A Caravana de Morris e Goscinny

Aqui já tenho o primeiro volume da trilogia Le Transperceneige de Jacques Lob e Jean-Marc Rochette.

E o livros de contos de Annemarie Schwarzenbach, “Com esta Chuva“.

livros na palete – posição 043

Mais uma cenas de autores conhecidos:

E uma banda desenhada: Madrox

sete para a eternidade, vol 1 de remender e opeña

Uma banda desenhada realmente brutal, visceral, nos textos, nos desenhos e nas cores.

Sete Para a Eternidade de Rick Remender, Jerome Opeña & James Harren (que desenha os #7-8 de Sete para a Eternidade e aqui os desenhos perdem quando a mim um pouco de fôlego) tornou-se numa leitura tensa, estranha, memorável.

A ideia, até pode não ser nova, mas a execução é brilhante.

G Floy para quando o segundo volume?

Tradução de Filipe Faria

livros na palete – posição 039

As compras não têm sido muitas. Esta semana foi uma excepção.

Tive de aproveitar o bom desconto e comprei o livro 1984 e o primeiro volume de dois de Sete para a Eternidade.

snowpiercer, a série

Snowpiercer, a série, com Jennifer Connelly não vale nada. Foi com esforço que vi o primeiro episódio, pensando “okay isto até pode melhorar” – erro meu.

A série descarrila.

A única cena engraçada foi quando li alguns comentários sobre a série em que uns iluminados disseram que melhor, mas mesmo melhor foi o filme original? Ah! Como?

Pesquisem um pouco, a Internet está aí para isso. O original é a banda desenhada franco-belga “Le Transperceneige” de 1982, de Jacques Lob (argumento) e Jean-Marc Rochette (desenhos) e que vai ter graças, felizmente isto, ao lançamento da série uma edição em Portugal em dois volumes:

  • Transperceneige/L´Échappée 1984
  • L´Arpenteur 1999
  • La Traversée 2000

watchmen (vol. 10): a hora final

Edward Blake, o Comediante, e um dos mais famosos super-heróis do mundo, foi encontrado morto. Rorschach, um vigilante mascarado, decidi iniciar uma investigação… E começa uma viagem que vai levar os protagonistas cada vez mais fundo, para o coração secreto deste mundo de super-heróis, e para a descoberta que as aparências não são o que parecem.

Volume final da série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank. Foi uma série que no seu todo brilhou, mas não ofuscou.

Tradução de Filipe Faria

watchmen (vol. 9): crise

Quase no final a série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank. Continua a brilhar!

Onde estão os membros da Sociedade da Justiça e, mais importante ainda, quem são? E o que vem a ser a Legião dos Super-Heróis? À medida que as respostas aos mistérios que perseguem os nossos heróis começam a surgir, uma coisa é certa. O Universo DC nunca mais será o mesmo, e o papel central do Super-Homem será por fim desvendado.

Tradução de Filipe Faria

watchmen (vol. 8): não há deus

Aqui se dá seguimento à série Doomsday Clock, escrita por Geoff Johns e desenhada por Gary Frank. Continua a brilhar!

O mundo está a mergulhar no caos, desestabilizado pela bizarra Teoria dos Super-Homens, e um conflito internacional de proporções imensas começa a ganhar forma… E, no centro de tudo, heróis e vilões de vários mundos tentam descobrir a verdade. Lex Luthor e Ozymandias, Satúrnia, Mímico, Marioneta e Joker, Rorschach e Batman e muitos mais lutam para parar a contagem final em direcção ao Apocalipse.

Tradução de Filipe Faria