Artigos

retribuições

Todos os dias a minha filha vem dar-me beijos de boa-noite. Dá um beijo e eu retribuo. Dá outro e eu retribuo. Outro e eu retribuo. Ainda outro e eu retribuo. Pimba mais um e eu retribuo. Termina encostando o seu rosto ao meu; e enquanto se afasta coloca os dedos no meu cabelo e despenteia-o. Eu tremo de exasperação, fecho os punhos e digo-lhe sempre “não gosto que faças isso”. Mas ela faz-lo continuamente.

Ontem a mesma rotina exceptuando um pormenor. Quando colocou os dedos no meu cabelo para o escangalhar ele não se mexeu. Olhou para mim espantada e disse zangada:
— Não teve piada. Por que colocas-te laca no cabelo?
— Porque a tua expressão valeu mil beijos.
— Não tornes a fazer isso pai.
— Okay.

questões e outras coisas mais…

Can I caught a disease with a viral photo?

——————————

First Round: OK
Second Round: KO

——————————

Nunca pensei que isso fosse possível. Assim daquela maneira; assustador e belo ao mesmo tempo.

fragmento.00087

— Não podes negar a beleza selvagem da destruição.
— Está a defender esta catástrofe?
A Régia encolheu os ombros
— Se a vida funcionasse perfeitamente, como é que as coisas podiam evoluir? Não somos pós-humanos? As coisas crescem; as coisas morrem. A seu tempo, o cosmos matar-nos-á a todos. O cosmos não tem qualquer significado, e o seu vazio é absoluto. Isso é terror puro, mas também é liberdade pura. Apenas as nossas ambições e as nossas criações o podem preencher.
— E isso justifica as vossas acções?
— Nós agimos pela vida – disse a Régia. – As nossas ambições tornaram-se as leis naturais deste mundo.

página 447

Shismatrix – O Mundo Pós-Humano, Bruce Sterling // título original: Shismatrix Plus // tradutor: Luís Santos // capa: Marta Rodrigues // editor: Editorial Presença, Colecção Viajantes no Tempo, 1º edição (jul.2003) // isbn: 972-23-3044-6

insónia

O cansaço acumulado levou-me à cama às 02.15 horas de ontem.
Mas às 03.42 horas a insónia instalou-se entre os lençóis e nem o mítico copo de leite morno a debelou.

Fica para o próximo domingo o exorcismo do cansaço.

scream and shout

when in danger, when in doubt, run in circles, scream and shout.

anonymous

O.B. et al, WHEN IN DANGER, WHEN IN DOUBT, RUN IN CIRCLES, SCREAM AND SHOUT and its variations appear to have begun as a U.S. military (Navy and Army) expression. Herman Wouk (see 1951 quote below) called it an ‘ancient adage,’ while most others called it an ‘old saying/motto/maxim/adage.’ But from the evidence below, I would say that the expression is not all that old and that it probably came into existence during WW II.

It is a sarcastic expression that says if you are in danger or trouble or have doubts as what to do, and don’t have a clue how to properly handle a bad situation or crisis, just start making a show of a lot of activity and noise to appear proactive – using bluster as a cover for indecision and incompetence – and maybe folks won’t notice that you really don’t know what you are doing.

from word wizard