Artigos

livros na palete – posição 044

Ok, dois de Alberto Manguel – ofertas e mais um de Lucky Luke:

  • A Biblioteca à Noite e Alberto Manguel
  • Embalando a Minha Biblioteca de Alberto Manguel
  • A Caravana de Morris e Goscinny

Aqui já tenho o primeiro volume da trilogia Le Transperceneige de Jacques Lob e Jean-Marc Rochette.

E o livros de contos de Annemarie Schwarzenbach, “Com esta Chuva“.

A VIAGEM COMEÇA NUMA BIBLIOTECA. Ou numa livraria. Misteriosamente, ali prossegue, na claridade de razões antes recalcadas no corpo. Assim, antes do nomadismo deparamo-nos com o sedentarismo das estantes e salas de leitura, ou mesmo dos lares onde se acumulam as obras, os atlas, os romances, os poemas, e todos os livros que, de uma forma ou de outra, contribuem para a formulação, realização, concretização da eleição de um destino.
Teoria da Viagem. Uma Poética da Geografia de Michel Onfray (página 27)
(…) É estranho nunca ter pensado em ir a uma biblioteca. Precisava de os adquirir, de os ver dispostos em fila, ao longo de uma parede do meu quarto minúsculo. As minhas divindades domésticas. As minhas naves espaciais.
Histórias de Susan Sontag (página 16)

avisos

O aviso colocado na porta, fechada, de entrada para uma biblioteca é o seguinte:
“Mantenha a Porta Fechada” – este aviso servirá para impedir a entrada de qualquer interessado em entrar.

É semelhante ao aviso de um cartoon do Quino: “Feche a Porta Antes de Entrar”.

the last hero

Este será? o primeiro livro a sair das prateleiras. Ainda está na mesa da sala; ou escondido pela sala – os livros na sala têm um prazo de validade de 48 horas até a minha mais-que-tudo os esconder? (palavra minha, já que segundo ela os livros são “arrumados”).

A minha? linda edição tem uma grande mais valia, tem ilustrações de Paul Kidby.

The Last Hero is a short novel, the twenty-seventh of the Discworld series by Terry Pratchett. It was published in 2001 in a larger format than the other Discworld novels and illustrated on every page by Paul Kidby.

Victor Gollancz

A história é como sempre hilariantemente divertida e brilhantemente ilustrada – enriquece qualquer biblioteca.

livros

Hoje numa mini-feira de livro usado adquiri, ao preço de 1 euro a unidade, 3 livros, que julgo serem, interessantes.

  1. A Morte de um Apicultor, Lars Gustafsson
  2. O Cônsul Honorário, Graham Greene
  3. Terra Bendita, Pearl S. Buck

Nunca li nada de Pearl S. Buck, vencedora do Prémio Nobel de Literatura de 1938.

Já de Graham Greene li diversas obras e penso, enquanto escrevo isto, que já li “O Cônsul Honorário” existindo, até, na minha biblioteca uma edição da Editora Ulisseia.

Não tive, ainda, o prazer de ler a que é considerada a obra prima de Lars Gustafsson; um dos maiores escritores suecos contemporâneos.

Por isto tudo foi uma excelente aquisição.

an enquiry concerning human understanding

The Sceptic is another enemy of religion, who naturally provokes the indignation of all divines and graver philosophers; though it is certain, that no man ever met with any such absurd creature, or conversed with a man, who had no opinion or principle concerning any subject, either of action or speculation. This begets a very natural question; What is meant by a sceptic? And how far it is possible to push these philosophical principles of doubt and uncertainty?

David Hume, An Enquiry Concerning Human Understanding

Acossado pela cegueira mental P. refugiou-se na biblioteca.

narnia

Apenas um pequeno apontamento sobre a edição das Crónicas de Narnia pela Editorial Presença.
Pessoalmente, li as Crónicas pela ordem da sua publicação na minha juventude graças à Biblioteca Itinerante.
1950 – The Lion, the Witch, and the Wardrobe (O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa)
1951 – Prince Caspian (O Prí­ncipe Caspian)
1952 – The Voyage of the Dawn Treader (A Viagem do Caminheiro da Alvorada)
1953 – The Silver Chair (O Trono de Prata)
1954 – The Horse and His Boy (O Cavalo e o Seu Rapaz)
1955 – The Magician’s Nephew (O Sobrinho do Mágico)
1956 – The Last Battle (A Última Batalha)
E é, para mim, a ordem pela qual deve ser lida.
Contudo as Crónicas têm, actualmente, outra numeração que é seguida pela Editorial Presença.

  1. O Sobrinho do Mágico
  2. O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa
  3. O Cavalo e o Seu Rapaz
  4. O Prí­ncipe Caspian
  5. A Viagem do Caminheiro da Alvorada
  6. O Trono de Prata
  7. A Úlltima Batalha

Aconselho a leitura deste pequeno texto extraí­do do site narniafans.com:

In 1957 an American boy wrote C. S. Lewis to ask about the best order for reading The Chronicles of Narnia. The boy’s mother believed the books should be read in order of their publication, beginning with The Lion, the Witch and the Wardrobe. But the boy thought it would be better to read them in order of Narnian history, beginning with the creation of the enchanted world in The Magician’s Nephew.

C. S. Lewis wrote back to the boy, saying, “I think I agree with your order for reading the books more than with your mother’s,” and soon afterward the publishers began to number them in this way. But Lewis, who had written bits and pieces of the books at different times, also noted that the order probably didn’t much matter: “I’m not even sure that all the [books] were written in the same order in which they were published.