Tag Archive for: café

outra no café

23 Jan
23.01.2019

‘Um café?’, pergunta o funcionário.
‘Sim. Um café sob o curto.’
‘Como?’
‘Não sabes o que é? Estás a ver um café curto? Certo! É um pouco menos.’


Ah! A sério. Inacreditável. Dei uma gargalhada – naturalmente!

o café

10 Out
10.10.2018

Há muitos anos que não conspurco o café com açúcar, mas ainda retenho o hábito irritante de mexer no líquido com uma colher de café. Acho uma actividade hipnotizante, apesar de incoerente.

sou culpado!

04 Out
04.10.2018

Culpado e mais que culpado.

ouvido ali…

25 Out
25.10.2017

ouvido ali entre duas adolescentes:
‘A coisa mais melhor tipo que tu fazes é tipo bestial.’

de lado – 0025

24 Abr
24.04.2017

se sou racista quando bebo café preto,
se sou racista quando bebo leite branco.
o que sou quando bebo um galão?

chá

12 Jul
12.07.2016

Virei elitista.
Só bebo chá, nada do vulgar café e de leite; e vou deixar crescer a unha do dedo mínimo até 10 centímetros para apontar o norte.

nova planta!

04 Set
04.09.2015

Utilizei uma estilosa máquina de fazer café como recipiente para uma nova planta que irá decorar o meu novo espaço de conforto.

A questão que vale muito ou não: não sei que sementes coloquei no vaso anão.

à espera

03 Jun
03.06.2015

Aqui estava eu na leitura e a petiscar algo bué de saudável quando recebi a companhia de dois viajantes.

1º minho oktoberfest

25 Out
25.10.2012

espaco00

que espaço!! uau!!!

E lá fomos eu e os outros ao primeiro e grandioso Minho Oktoberfest organizado pela Cerveja Artesanal do Minho.

0734

azeitonas, queijo, presunto

À entrada, pela troca de uma módica quantia em dinheiro, foi-nos oferecido à escolha uma caneca ou um copo com o logotipo do evento e uma senha (adorei o esquema das senhas) de oferta – eu fiquei com a caneca, claro.

Ataquei sem dificuldade a weiss e umas costeletas grelhadas. Enchi novamente a caneca com weiss, mas agora, para acompanhar uns pedaços delicados de queijo, presunto e umas charmosas azeitonas. A weiss durou o suficiente até à próxima caneca.

0732

um pecado divino

Como não ia ficar sempre na mesma onda, bebi um café e comi um excelente Pastel de Santo António dos Chocolates da Vila.
O espaço único convidada a beber, a cruzar a perna, a visitar a cozinha e a ilha e a beber.

Nesta altura estava preparado para atacar a stout. A minha caneca depois de limpa não se fez rogada. E desta vez comprovei que a stout tem um ligeiro sabor a caramelo – eu e a minha teimosia.
Para completar a noite e para motivar uma nova caneca de stout ainda houve tempo para assistir a uma demonstração de dança por Alunos de Apolo (Lisboa).

par_verde

maria miguel e pedro pinheiro

par_vermelho

As fotografias não são as melhores, são as possíveis tendo em conta que ou via o espectáculo ou fotografava. Foi um bom momento durante o qual, pasme-se esvaziei a caneca!

Finalmente aqui me têm satisfeito, mas de caneca vazia. Fui beber uma pilsener para terminar uma parte da noite.

eu_satisfeito

a imagem de quem está no seu ambiente perfeito e com cerveja à mão de semear!

apontamento extra:

provei em casa a indian pale ale e para quem já provou centenas de centenas de cervejas foi aquela que mais adorei de todas as criações da Cerveja Artesanal do Minho.

a festa das colheitas 2012

07 Out
07.10.2012

No post 30ª Feira de Artesanato de Barcelos 2012 referi:

exceptuando um stand do qual não registei o nome – culpa minha.

ora bem descobri o stand na Festa das Colheitas 2012 de Vila Verde e desta vez tirei fotografias. O stand em questão é pois da jovem artesã Joana Fernandes, natural de Cabanelas, que revela os seus trabalhos de artesanato feitos em cortiça.

joanafernandes01

joana fernandes

joana_fernandes00

Tive oportunidade de ver algumas peças criadas no 2º Encontro Inter-Regional de Cortes em Madeira com Motosserra.

trabalhos_de_madeira

trabalhos em madeira

Em excelente companhia jantamos um excelente jantar na tasca da Igreja de Esqueiros (sim ajudei uma igreja, tal e qual, a comida foi boa…) e servido por imensos São Pedros.

esqueiros

ementa esqueiros

Ataquei delicadamente umas papas de sarrabulho e optei pela alheira com grelos, regada com um decente Alvarinho, para completar o menu. A companhia foi agradável e a discussão sobre o tamanho da alheira foi muito teológica.

A primeira verdadeira surpresa da noite ocorreu depois de tomar um café quando actuou o artista da noite, desconhecido para mim e para os meus amigos. Acho que a C.J. ainda está em choque pela musicalidade do artista e pela performance em palco da Sofia 1 e Sofia 2. Nenhum de nós se recorda de ter ouvido algo semelhante para bem ou para o mal. Consegui filmar alguns segundos. A emoção, a dor de barriga, o inexplicável sangramento auditivo obrigou-me a abandonar o recinto da feira e trazer a reboque os meus sofridos amigos.

No geral foi uma noite muito positiva. A repetir certamente.

© 1999.2019 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!