Tag Archive for: cheiro

zanzibar

09 Dez
09.12.2019

Zanzibar é nome dado ao conjunto de duas ilhas do Arquipélago de Zanzibar, ao largo da Tanzânia, na costa leste-africana, de que formam um estado semiautônomo daquele país. As duas ilhas são chamadas Unguja (em suaíli) ou Zanzibar e Pemba e estão separadas do continente pelo Canal de Zanzibar.

Wikipédia

Embora se elevasse sobre as águas num encanto de brancura, Zanzibar era urna ilha de vielas malcheirosas e muçulmanos mal–encarados.

Viagem por África de Paul Theroux (página 327)

some kind of explanation

17 Jan
17.01.2019
Relatively soon, I will die. Maybe in 20 years, maybe tomorrow, it doesn’t matter. Once I am dead and everyone who knew me dies too, it will be as though I never existed. What difference has my life made to anyone. None that I can think of. None at all.
About Schmidt

The music, like writing and reading are very important factors in my life. With reading and writing it was always a discovery made by me; the music, and as a child I was invited, thanks to my uncle João Brito, to sleep listen to jazz, blues…
I read at age of ten, borrowed by my uncle, “Les jeux sont faits” and “Le Matin des magiciens” – and my life has changed!

There is no such thing as a moral or an immoral book. Books are well written or badly written. That is all.
Oscar Wilde
O que é deliciosamente assustador, naturalmente, sem a profusão literária das memórias involuntárias produzidas pelo sabor das migalhas da madeleine de Proust misturadas numa colher com chá, são os pequenos pedaços do meu passado, desencadeados por um cheiro intenso de saudável maresia, que se foram desenrolando na mente enquanto tentava adormecer e outros fragmentos que entretanto surgem enquanto tento descrever essa noite – e não havendo, na verdade, qualquer sequência cronológica e muito menos lógica nas lembranças, são, não obstante isso, os fotograficamente eternos pequenos instantes do meu passado.

what book to choose?

goblin: Which book would you take to a desert island?
pbrito: Why would I want to go to a desert island?
goblin: It is a purely academic question. Only to define what is your favorite book.
pbrito: This is intended to be an interview or a psychological profile?

[…] “À la recherche du temps perdu” (Marcel Proust) will always be the book that I would take to an island.

Longtemps, je me suis couché de bonne heure. Parfois, à peine ma bougie éteinte, mes yeux se fermaient si vite que je n’avais pas le temps de me dire: «Je m’endors.»
Du Côté de Chez Swann, Marcel Proust

meet my team

THE ILLOGICAL: “Sense is the enemy of change and nonsense is the powder keg of disorder.”Automatic Safe Dog by Jet McDonald

OS LIVROS: os meus amigos em todas as ocasiões.

THE RAVEN: one of the best muses, working for me since the beginning.

He cried in a whisper at some image, at some vision — he cried out twice, a cry that was no more than a breath — “The horror! The horror!”
Heart of Darkness, Joseph Conrad

haverá

10 Mai
10.05.2018

Haverá algo melhor do que sentir a chuva a cair no guarda-chuva ao som da Lacrimosa de Mozart, debitada directamente nos ouvidos, enquanto o cheiro da terra molhada te impregna o nariz, a humidade e o frio te rodeia e embala, além de estar sentado na cama, quente, aconchegado pelos lençóis e pelo corpo sensual que se entrelaçou no teu, enquanto sorves um golo de chá quente e te preparas para iniciar a leitura do Romance de Genji e vês no parapeito o gato a brincar com a chuva que bate hipnoticamente nos vidros da janela?

de lado – 0074

15 Mar
15.03.2018

Eu até gosto da chuva. De a ver cair. Do cheiro da terra húmida. Só odeio é ficar com o guarda-chuva molhado – pinga, pinga.

no smell

20 Out
20.10.2017

Um brincadeira inocente.

lol, camouflage 11.0 – spicy

13 Nov
13.11.2016

Wearing a turban, his body covered with sandalwood ashes and painted with dye, his face decorated with an outline of a black beard, precariously wrapped in a ragged saffron robe, fastened on a piece of rope is a loincloth that pretends to hide his nakedness, with sacred beads and sequins around his neck, a gold chain looped on his right ankle, which makes him appear to be a young sadhu although he does not have any tilaka on his forehead, he walks through Rishikesh towards Haridwar.
A smile of pure satisfaction radiates from his face as his senses embrace the colors, smells and flavors of the spice stands that surround him.
Sitting near the bank of the Ganges River, wearing the shade of a tree, after having crossed the Laxman Jhula Bridge, he realizes how magnificent the smells of Rishikesh are and is proud to have chosen this pilgrimage route to the Maha Kumbha Mela. ‘It is incredible how in a crowd one can better perceive healthy solitude’ is the thought that arises before the undulating mystique of the Ganges River. It is this refuge that he needed and also the absorption of millennial energies.
It is almost sunset. The young sadhu rises and as he leaves behind the Ganges the aquatic magic is diluted harmoniously in the bustle of the metropolis and he feels like the link that unites the two landscapes. His readings taught him that there may be no chaos in chaos, as there may be no order in order, but these maxims begin to be broken when he is surrounded by a group of tourists who had hitherto been photographing the exterior of Trayambakeshwar.
‘A HOLY MAN!’ they shouted.
‘Holy? Where?’ he questions himself, but as he is pointed out by cell phones, he suspects that they think he is the saint, ‘crazy people!’

[… an excerpt …]

lol, camouflage 6.0 – orange juice

10 Out
10.10.2016

lol is sitting in a chair while nibbling, indecisively, between a croissant and a pains au raisins. From the balcony of one of the rooms on the third floor of the hotel Plage des Pins he enjoys a beautiful view of the blue sea and concludes that the smell of the Mediterranean Sea in Argelés-sur-Mer has a distinct fragrance. He finishes a delicious orange juice and decides to throw some balls – A game of pétanque is taking place on the beach.
‘Bonjour! Il y a une place pour une personne? J’ai mes propre boules.’
‘Bien sûr. Nous sommes jusqu’à fini ce match.’

lol smooths his mustache, fixes the béret and waits – satisfaction.

[… an excerpt …]

erro de sistema

21 Set
21.09.2016

Pequenos textos sobre “erro de sistema”.


erro de sistema!

o erro de sistema à distância de um click!


upDATE_17.09.2016
o erro de sistema nunca está de férias!


upDATE_18.09.2016
o erro de sistema trabalha 365 dias e descansa no 366, ou talvez não!


upDATE_19.09.2016
erro de sistema ao minuto.

o erro de sistema vai arrebentar pelas costuras.

‘Há muitas maneiras de me dizerem as coisas e como as coisas são transmitidas e como eu venho a saber, depois na realidade, repare: estava um caos, estava coisa, há quanto tempo foi? e não fizeram nada, então não estava assim tão mau, isso então não explodiu, nem foi pelo ar agora eu também digo assim, é necessário pedir as peças?’
Talvez sim… devido ao erro de sistema.


upDATE_20.09.2016
e não é que todos vamos ouvir… Carmina Burana!
à espera que o erro de sistema entre em licença sabática.

o erro de sistema não é humilde.
o erro de sistema extermina todos os processos cognitivos.
o erro de sistema é “Temor e Tremor”.


upDATE_21.09.2016
‘mas quem deu ordem para isso?”
‘um erro de sistema impede acesso à resposta.’
/>a recuperar de um erro grave…
/>a realizar uma manutenção cerebral… sem sucesso
/>a identificar o ficheiro danificado… sucesso
/>a identificar o ficheiro executor… sucesso
/>a reinstalar o cérebro em modo de segurança…
/>
/>erro de sistema


upDATE_22.09.2016
o erro de sistema não previne estrias corporais, estruturais e outras que tais.

o erro de sistema não é marca branca.

se o erro de sistema imprimir só a preto em folha branca é racismo.
se o erro de sistema imprimir só a preto em folha preta é redundância.

o erro de sistema é um lobo solitário, excepto quando imprime páginas em branco.


upDATE_23.09.2016
o erro de sistema não permite saídas à noite.

a lista Y deslocou-se para a pasta X porque pensou que o erro de sistema não estava operacional; ilusão! o erro de sistema estava em hibernação e logo exibiu uma mensagem: ‘deslocação sem permissão!’


upDATE_26.09.2016
o erro de sistema gosta de ti.


upDATE_27.09.2016
o erro de sistema não te vira as costas.

o erro do sistema não conhece a palavra “bug”.


upDATE_28.09.2016
o erro de sistema não processa caracóis.

o erro de sistema não precisa da ajuda do justiceiro, nem dos sete magníficos; ele é lei, juiz e carrasco.

cerveja artesanal do minho – sabores tradicionais

06 Out
06.10.2012

O objectivo único de ir a Vila Verde foi descobrir em primeira mão as cervejas produzidas pela Cerveja Artesanal do Minho que tem ao seu comando Filipe Macieira e Francisco Pereira. O restante programa oferecido pela Festas das Colheitas veio a reboque.

cervejas

as cervejas

O que dizer então das cervejas que partem desta ideia:

A “Cerveja Artesanal do Minho” é uma cerveja especial cujo método artesanal de fabrico e o uso de matéria-prima 100% natural dão origem a uma cerveja mais aromática, com um sabor mais intenso e uma ligeira turvação devido à filtração parcial da levedura. Pretende-se oferecer ao consumidor a possibilidade de poder apreciar novos sabores e texturas, diferenciando-se da cerveja actualmente produzida e consumida em Portugal.

0733

os arrebatamentos

Degustei em ambiente aprazível um tipo de cerveja – ou, para ser mais correcto, três sub-tipos dentro do mesmo estilo, ale. Sei que o ideal era não fazer misturas, mas que se lixe o ideal e que venha o êxtase de sabores.
Tenho de agradecer a Francisco Pereira a sua amabilidade e paciência, numa altura de grande confusão, em disponibilizar uns bons minutos de conversa para falar um pouco do projecto, das cervejas, dos planos futuros e do que se prevê ser um fantástico Oktoberfest a 20 de Outubro em Moinhos, Gême, Vila Verde.

  • red ale: sub-tipo da cerveja ale, é oferecida com boa cor, espuma cremosa, cheiro delicado e um sabor furtado harmonioso; é fácil ficar enamorado por ela. Gostei da aposta nesta cerveja ale. O que me faz ficar ansioso por provar a sua irmã mais clara, a india pale ale, que se encontra neste preciso momento a descansar no frigorífico.
  • weiss: outra boa surpresa, e que é mais uma vez uma ale, feita à base de trigo, em que se destaca uma adorável cor turva; o seu sabor é persistente e permanece ainda durante bastante tempo, por isso a cerveja deve ser bem distribuída na boca para que tenha um bom contacto com a língua; achei-a bem encorpada e bastante refrescante.
  • stout: é outra ale, mas de cor preta, com um forte sabor a chocolate, café e malte torrado. Fiquei, ainda, com a sensação de um ligeiro travo a caramelo, mas já não tenho certeza; amei o amargo deixado na boca. Nesta altura ataquei uma fatia de bolo de cerveja para tentar limpar o paladar (hehehe, impossível limpar o paladar com um bolo à base de cerveja – é o momento de humor deste meu registo) e dei duas, ou três amostras do bolo ao meu amigo Rui ao melhor estilo “olha o avião“, não confundir com a estupidez musical “Anda Comigo Ver os Aviões“, okay!

Tenho para provar a pilsener, a única lager, que deve ter o característico sabor suave (e amarga) e a belgian ale que será maravilhosa pelo seu sabor intenso (mas pouco amarga) – que espectacular dualidade.

paulo, cervejas

eu e as cervejas

Os dois mestres-cervejeiros estão de parabéns e têm aqui, neste sujeito que está a terminar este sequioso texto, um admirador. Espero que a minha positiva experiência seja multiplicada exponencialmente por muitas mais pessoas.

a_minha_compra

a minha compra

mc chouffe

27 Jun
27.06.2012

lachouffe

la chouffe

Mc Chouffe, cerveja fabricada pela destilaria Brasserie d’Achouffe (Bélgica), é uma bebida de grande elegância.
Mc Chouffe faz parte da família Ale (Strong Dark Ale), com um teor de álcool de 8,0% e deve ser servida a uma temperatura entre 8 e 12 graus.

De cor castanha escura, em tons avermelhados, cheiro bastante agradável, deixa uma sensação cremosa na boca.

O aroma oferece um moderado malte tostado, café, lúpulo leve e álcool.

O seu sabor muito aromático e rico convida que sejam encontradas muitas ocasiões para a beber.
Hoje poderá ser um desses dias.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!