Artigos

com esta chuva de annemarie schwarzenbach

Contos de viagens. Textos curtos, quase sempre cruéis que espelham uma palete forte de emoções: solidão, inquietude, paixão, desespero, conformismo.

Com uma linguagem sem luxos a autora cria cenários febris, personagens exóticas – impossível não gostar desta escrita estimulante.

Tradução de Ana Falcão Bastos

histórias de loucura normal de charles bukowski

Charles Bukowski oferece contos sacanas, misóginos, bestas e bestiais, nenhum deixa o leitor indiferente. Histórias sobre bêbedos, bebedeiras; histórias avassaladoras normais, doentias e geniais.

Adorável.

Tradução de Vasco Gato

livros na palete – posição 044

Ok, dois de Alberto Manguel – ofertas e mais um de Lucky Luke:

  • A Biblioteca à Noite e Alberto Manguel
  • Embalando a Minha Biblioteca de Alberto Manguel
  • A Caravana de Morris e Goscinny

Aqui já tenho o primeiro volume da trilogia Le Transperceneige de Jacques Lob e Jean-Marc Rochette.

E o livros de contos de Annemarie Schwarzenbach, “Com esta Chuva“.

posologia

Quando estou a ler um romance estou quase sempre a ler um livro de contos e um livro de não-ficção. Presentemente estou a ler:

Nos últimos 45m antes de ser abraçado por Morfeu estou refastelado a ler no mínimo um conto e um capítulo.

a rapariga que inventou um sonho de haruki murakami

Este livro de contos, “A Rapariga que Inventou um Sonho”, revela que Haruki Murakami cria magia em qualquer registo.

Adorável livro de contos.

Tradução de Maria João Lourenço

boleia arriscada de stephen king

Aqui se encontram, nesta colectânea, “Boleia Arriscada, 14 contos” de Stephen King, contos em nada medíocres.

Adorei especialmente:

  • Tudo o Que Amamos Nos Será Tirado
  • As Irmãzinhas de Eluria
  • Tudo é Fatal
  • A Teoria de L. T. Sobre OS Animais de Estimação
  • Almoço no Café Gotham
  • 1408
  • Boleia Arriscada

Tradução de Ana Lourenço

in the deathroom by stephen king

Poderia o quê? Isso não interessava a Escobar, que se ele limitou a assentir com uma expressão compreensiva (…)

página 153

Gralhas que me irritam no livro Boleia Arriscada.

boleia arriscada, os contos

O conto também não é uma arte perdida, mas concordo que está mais próximo da extinção do que a poesia.

página 13

No entanto creio que consegui renovar a minha arte, pelo menos para mim próprio, essencialmente porque me recuso deixar que passe um ano sem que escreva pelo menos um ou dois contos. Não por causa de dinheiro, nem sequer por amor, mas por uma espécie de dever. Porque se queremos escrever contos temos de fazer mais do que pensar em escrever contos. Não é como andar de bicicleta, mas mais com treinar no ginásio: a técnica de nada nos vale se não nos ser virmos dela.

página 18

O livro de contos, “Boleia Arriscada”, é o primeiro livro de contos que estou a ler de Stephen King. O livro foi originalmente publicado em 2002 com o título de “Everything Is eventual: 14 Dark Tales”.

Os contos que fazem parte desta antologia são:

  1. Autopsy Room Four (1997)
  2. The Man in the Black Suit (1994)
  3. All That You Love Will Be Carried Away (2001)
  4. The Death of Jack Hamilton (2001)
  5. In the Deathroom (1999)
  6. The Little Sisters of Eluria (1998)
  7. Everything’s Eventual (1997)
  8. L. T.’s Theory of Pets (1997)
  9. The Road Virus Heads North (1999)
  10. Lunch at the Gotham Café (1995)
  11. That Feeling, You Can Only Say What It Is in French (1998)
  12. 1408 (1999)
  13. Riding the Bullet (2000)
  14. Luckey Quarter (1995)

É lamentável que na edição portuguesa não exista um índice com as datas da publicação original dos contos, porque gosto, obsessivamente, de ter esta indicação – pois.

o terrorista elegante e outras histórias

As três novelas que constituem este livro têm por base peças de teatro escritas em conjunto pelos autores e encomendadas pelos grupos de teatro A Barraca, de Lisboa, e Trigo Limpo – Teatro ACERT, de Tondela. Porém, depois de conversas informais na bela e histórica cidade de Paraty, no Brasil, essas peças foram reescritas pelos autores sob a forma de contos.

Wook

José Eduardo Agualusa e Mia Couto oferecem três histórias delirantes – apetitosas. Autores que nunca desapontam.

ou de alejandro pedregosa

Antologia de contos breves, intensos e poderosos, todos eles unidos no respectivo título por um «ou» inicial e optativo. Contos que exalam ecos longínquos de lenda ou fábula moral e atribulada, escritos com a mestria de um artesão minucioso. Contos que põem em cena uma galeria de personagens de existência efémera que vai saudando o leitor ao longe, do cenário, mesmo antes de enfrentar o seu destino, por vezes trágico, mas quase sempre com a resignação de um penitente.

Wook

Autor que nunca tinha lido. Este lançamento pela editora Kalandraka permitiu-me, não apenas descobrir um excelente autor, como uma editora que edita coisas “catitas“.

Adorei.


Tradução de Elisabete Ramos