Tag Archive for: escadas

convento della carità

22 Jan
22.01.2020
@ six days in the veneto

No seu livro “Viagem a Itália” Goethe fala deste convento e em particular de umas escadas em caracol. Curioso fui à pesquisa. Este convento foi projectado por Andrea Palladio. A sua construção decorreu de 1561 a 1562, e ficou incompleta. O que fez soltar esta pergunta ao escritor:

Ah, caro Destino, tu que favoreceste e eternizaste tanta estupidez, porque é que não deixaste que esta obra se realizasse?

página 114

Sobre as escadas:

Mas apressei-me a ir até à Carità (…). De um dos lados fica a sacristia, do outro uma sala do capítulo, ao lado da mais bela de caracol do mundo, com uma espiral larga e aberta, os degraus de pedra metidos na parede e sobrepostos de tal modo que um sustenta o outro; não nos cansamos de a subir e descer, e podemos ter uma ideia da sua harmonia se nos lembrarmos de que o próprio Palladio a considera uma obra perfeita.

páginas 113/114


Photo by @ Six Days In The Veneto

contagens

03 Abr
03.04.2019

Subi as escadas de mármore castanho. Contei dez degraus até ao primeiro patamar. Virei à esquerda e contei onze degraus. Novo patamar. Parei perante a incoerência da contagem. Desci até ao rés-do-chão para recomeçar a contagem e aí chegado insultei-me por não ter iniciado a contagem ao descer. Desta feita contei onze degraus – aqui estava a explicação. Reiniciei a subida lamentando o erro da primeira contagem e um arrepio desceu pela coluna. Estremeci. A contagem até ao segundo patamar foi de dez degraus. Senti um sufoco. Tonturas. As paredes começaram a abafar-me. Colei-me à parede atordoado. Confuso tentei convencer-me de que a minha obsessão pelo equilíbrio e coerência estava a transformar-se num problema. Desci acelerado os dois patamares. Respirei fundo. Reiniciei a subida. Dez degraus, esquerda, dez degraus. A harmonia desceu sobre mim. Sorridente iniciei a escalada de um novo patamar: contagem dez degraus – tudo certo. Nova viragem à esquerda e onze degraus. Como? Como? Limpei as gotas de suor que escorriam pela testa. Desci os patamares tentando não pensar muito no assunto. Entrei no elevador e carreguei no botão para o segundo andar. A porta fechou-se e a subida iniciou-se suavemente. O elevador parou com um ligeiro solavanco. A porta abriu-se e perante mim exibiu-se em plena claridade o rés-do-chão.

coisas de outubro, 2017

01 Nov
01.11.2017

As leituras e não leituras de alguns fins-de-semana e não só.

Um pouco de banda desenhada:

  • Reféns do Ultralum de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • O Órfão dos Astros de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Tempos Incertos de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Nas Imediações do Grande Nada de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Tokyo Ghoul #9 Sui Ishida
  • A Ordem das Pedras de  Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • O AbreTempo de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Polina de Bastien Vivès
  • Recordações de Futuros de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières
  • Histórias do Bairro de Gabi Beltrán e Bartolomé Seguí
  • Homem-Aranha vol. 6: Guerra Civil II – uma autêntica seca; desiludido nos dois últimos volumes
  • Platinum End #1 de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata
  • Tempos Amargos de Étienne Schreder
  • Y: O Último Homem vol.1 de Brian K. Vaughan e Pia Guerra
  • Homem-Aranha vol. 7: A União Faz a Força / Guerra Civil II – mais divertido.
  • Marvel Especial vol. 1: Deadpool – valeu a pena. boa leitura
  • Os Trilhos do Acaso 1 de Paco Roca
  • Os Trilhos do Acaso 2 de Paco Roca
  • Monstress vol. 1: Despertar de Marjorie Liu e Sana Takeda

Um pouco de outras coisas mais:

  • 4 3 2 1 de Paul Auster
  • O Passado é um País Estrangeiro de Ali Smith – (comprei este livro entusiasmado pelo tema: “Era uma vez um homem que, certa noite, durante um jantar social, entre o prato principal e o doce, subiu as escadas e fechou-se num dos quartos da casa. À medida que as horas se transformam em dias, e os dias, em meses, as consequências deste estranho ato repercutem-se para o exterior, afectando os donos da casa, os outros convidados, a vizinhança e todo o país.”) Lamentavelmente não me deu pica. Deve ser aquela altura do mês em que se complica qualquer leitura. Coloquei o livro de lado e iniciei novos voos, noutras páginas.
  • O Reino Mais Além das Ondas de Stephen Hunt – outro livro que coloco de lado, arrumado. À espera de novos apetites.
  • Human Maps de Andrew Hook

lol, camouflage 6.1 – by books

16 Out
16.10.2016

lol in typical Next Thursday fashion has navigated through books never before navigated. He has left the three-dimensional space and entered the multidimensional space. He is looking for the perfect book for his hideaway. So, he jumps from book to book like a grasshopper – free of responsibilities, of deadlines to meet. His current motto could almost be “Pack your knapsack and go.” After so much jumping and running through amazing, minimalist and tragic books, of dense, light and dour writing, he opts, for his lair, for an illustrated book filled with people sitting on roofs, peering from windows and doors, descending and ascending stairs, dressed in blue, green, brown, yellow or striped, traveling on a train, ship or submarine; with strange and normal objects; with real bears and teddy bears; with fish and dinosaurs, horses, cows and even robots. In that crowd, that mosaic of confusion, lol realizes, finally, that he will be camouflaged. Then we hear him say ‘let me through’ while bypassing a green tank driven by a yellow fish; ‘do not push’ as he crosses paths with a blue group of soldiers; ‘do not fall’ as he faces Humpty Dumpty, who is on top of a wall made of books. Then we see him getting more than annoyed when he observes that the house made of cards is occupied by an astronaut, a skier, a conductor, a matrioska. lol throws his arms up high and grumbles loudly ‘SERIOUSLY! EVEN A MATRIOSKA?’

[… an excerpt …]

escadas

02 Set
02.09.2012

A caminho da Franqueira.

to hell

09 Fev
09.02.2011

Stairs going down? to hell.

cyan in blue

08 Nov
08.11.2010

Não são escadas para o paraíso, muito menos para o inferno – escadas para um fácil paraíso?

stairs

03 Out
03.10.2010

Um detalhe do jardim existente no interior do “Solar do Benfeito”, Barcelos.

stairs ii

15 Mar
15.03.2010

apenas umas escadas.

tapete

26 Mai
26.05.2008

Foi-me dito nas quase obrigatórias aulas de religião e moral do meu ensino básico que os santos são uma escada para se chegar a Deus.
Concluo, passado estes anos todos, que se os santos são a escada nós somos o tapete.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!