Artigos

sete para a eternidade, vol 1 de remender e opeña

Uma banda desenhada realmente brutal, visceral, nos textos, nos desenhos e nas cores.

Sete Para a Eternidade de Rick Remender, Jerome Opeña & James Harren (que desenha os #7-8 de Sete para a Eternidade e aqui os desenhos perdem quando a mim um pouco de fôlego) tornou-se numa leitura tensa, estranha, memorável.

A ideia, até pode não ser nova, mas a execução é brilhante.

G Floy para quando o segundo volume?

Tradução de Filipe Faria

livros na palete – posição 033

Mais banda desenhada:

  • Saga, volume #9 de Brian K. Vaughan e Fiona Staples (falta-me o #8)
  • OK Corral de Jean Giraud
  • Dust de Jean Giraud
  • Watchmen, vol. 01 – de Alan Moore e Dave Gibbons (tenho uma antiga edição brasileira)

E continuam as colecções com lombadas para gládio de uns e irritação de outros.

lombada da colecção watchmen
lombada da colecção blueberry

tony chu: galo de cabidela #10

O novo arco de história de Tony CHU, a série best-seller do New York Times, aproxima-nos rapidamente do final da série (serão 12 volumes), com a sua combinação improvável (e um pouco parva, seremos os primeiros a admiti-lo) de detectives, bandidos, canibais, clarividentes, cozinheiros e homens biónicos.

G Floy

Outro volume delirante, absurdo, surreal, cómico – poderosamente alucinante.

Com argumento de John Layman e arte de Rob Guillory Tony Chu continua a ser da melhor banda desenhada que ando a ler.

Por PoYo! tenho de fazer render o peixe e ir lendo devagar os últimos dois volumes.

moonshine: comboio do tormento, vol. ii de azzarello e risso

Com este segundo volume termina-se em grande esta obra. Realmente excelente. O primeiro volume já deu cartas, este oferece o baralho todo.

Outra banda desenhada de extrema qualidade editada pela G Floy.

tony chu: granda frango! #9

É o regresso triunfante de Poyo ao mundo de Chu! O universo delirante do nosso detective cibopata preferido mergulha na loucura total. Um galo Poyo guerreiro biónico. Uma agente Olive em missão infiltrada. Um casamento em Las Vegas. Não, dois casamentos em Las Vegas! Um legume extra-terrestre alucinogénio. E montes e montes de animais falantes, incluindo um golfinho. Mas não se preocupem: nenhum deles foi maltratado durante a realização deste volume de Tony Chu, de longe o mais desaparafusado da série!

G Floy

Um volume com um final surpreendente (assustador!) que me fez dizer: porra!!

Com argumento de John Layman e arte de Rob Guillory as aventuras continuam a bombar forte e feio.

tony chu: receitas de família #8

Anthony e Antonelle Chu são irmãos gémeos. Tony e Toni. Cada um deles com as suas próprias habilidade paranormais extraordinárias, embora diametralmente opostas. O Tony é cibopata, capaz de sentir impressões psíquicas do passado de tudo o que morde ou ingere. A Toni é cibovidente, capaz de ter uma visão breve do futuro de tudo o que morde ou ingere. O Tony está vivo. A Toni está morta. A Toni foi assassinada. O Tony jurou apanhar o assassino da irmã. E a Toni vai ajudá-lo.

G Floy

Delirante! Brilhante! Chocante! Crocante!

Com argumento de John Layman e arte de Rob Guillory as aventuras de Tony Chu continuam a valer ler e reler – estimulante!

tony chu: maças podres #7

Outro volume delirante e sangrento – delicioso. Rob Guillory e John Layman continuam de parabéns.

do tony chu #7

Insano este álbum de Tony Chu com textos de John Layman e arte de Rob Guillory.

livros na palete – posição 020

Estas são as entradas da semana:

huck de mark millar e rafael albuquerque

Excelente banda desenhada da dupla Mark Millar e Rafael Albuquerque (cores por Dave McCaig).

Pensei que seria uma “coisa” vulgar, mas a qualidade do argumento e do desenho combinaram tão bem que tem-se uma história emocionalmente aprimorada.