Tag Archive for: julian barnes

o papagaio de faulbert de julian barnes

08 Jul
08.07.2020

Amo Gustave Flaubert. Os romances Madame Bovary, Educação Sentimentale e Salammbô, o conto Um Coração Simples são magistrais.

Quando descubro assim como en passant o livro O Papagaio de Flaubert de Julian Barnes sabia que o tinha de ler. Não desaponta. Vai além do esperava.

Tradução de Ana Maria Amador

tradutora: ana maria amador

07 Jul
07.07.2020

Ana Maria Amador é um dos nomes de referência da tradução literária portuguesa. Além de Julian Barnes, devemos-lhe versões na nossa língua de autores como Nadine Gordimer, Patricia Highsmith, Arthur C. Clarke ou Colleen Mccullough — uma bela seleção.

no interior: “o papagaio de flaubert”

01 Jul
01.07.2020

Vinheta existente no interior do livro “O Papagaio de Flaubert” de Julian Barnes publicado pela Quetzal.

livros na palete – posição 041

22 Jun
22.06.2020

Outro livro de Julian Barnes para ler, desta vez “Nada Temer”.

livros na palete – posição 024

20 Dez
20.12.2019

Mais uns livros para a palete. Desta vez vou ir actualizando esta entrada com as novas aquisições e possíveis ofertas.

  • Rei dos Espinhos de Mark Lawrence (escritor a descobrir)
  • Imperador dos Espinhos de Mark Lawrence

upDATE: 2019.12.24

upDATE: 2019.12.25

upDATE: 2019.12.28

tradutor: josé vieira lima

01 Jul
01.07.2019

José Vieira de Lima nasceu em 1951, em Almada, cidade onde – na adolescência – esteve ligado à criação de um cineclube. Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, a sua experiência profissional incluiu quinze anos de jornalismo (na agência de notícias France-Presse) e, finalmente, várias décadas de tradução literária (desde 1986), que começou com Sam Shepard e abarcou uma grande variedade (quase uma centena de títulos) de autores, de V.S. Naipaul a Henry James, passando por Julian Barnes, Edith Wharton, Martin Amis, Edmund White, John Le Carré, Marguerite Duras, Hanif Kureishi, Colm Tóibín, Dick Bogarde, Isabel Allende, Salman Rushdie, Allan Hollinghurst, Colleen McCullough, Paul Auster, David Leavitt ou Samuel Beckett. Beckett (sobretudo Happy Days) foi precisamente, como em tempos afirmou, o autor que mais gostou de traduzir.

Quetzal


Breve biografia sobre o tradutor José Vieira Lima extraída do livro “Hotel Silêncio” de Auður Ava Ólafsdóttir, editado pela Quetzal.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!