Tag Archive for: loucura

c.h.e.f.e.

20 Nov
20.11.2019

Não vamos negar: quem exagera na estupidez tem grandes hipóteses de ver subir a taxa de loucura, especialmente a loucura má porque é contagiante. Isso é o primeiro passo para se transformar num C.H.E.F.E. [Camelo Hábil Em Feitos Estúpidos].

a definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes

10 Out
10.10.2019

Esta citação, “A definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes”, é constantemente atribuída a Albert Einstein, mas não existe registo que o mesmo alguma vez tenha dito isso.

Nem no livro, The Ultimate Quotable Einstein, Edited by Alice Calaprice, Princeton University Press, Princeton, New Jersey (2010), a citação aparece.

“Insanity is repeating the same mistakes and expecting different results.”, na sua versão inglesa tem o seu registo escrito mais antigo segundo a Wikipédia…

From the book Narcotics Anonymous, which is referred to within the Narcotics Anonymous fellowship as “the basic text”. The quotation was not in the “grey book” version of the basic text distribute­d for editing by the fellowship at large in 1980, but was in the approval version released in November, 1981. A pdf scan of the 1981 approval version can be found here, with the quote appearing on p. 11 (p. 25 of the pdf), at the end of the fourth paragraph (which begins “We have a disease; progressive, incurable and fatal”).

Wikipédia

a fome de alma katsu

13 Ago
13.08.2019

Um relato tenso e fascinante sobre a trágica expedição no Oeste americano que levou a um dos maiores desastres da história da América Tamsen Donner deve ser uma bruxa. É a única explicação para a série de azares que têm afetado a caravana Donner, que se arrasta pelas áridas extensões do Oeste americano. Falta de comida, violência e a morte misteriosa de uma criança levam os pioneiros à beira da loucura. Pior: não se conseguem libertar da sensação de que alguém — ou algo — os está a perseguir. E quando membros da expedição começam a desaparecer, todos os vestígios de sanidade e civismo se perdem. Baseado em factos verídicos, esta é a saga de 90 homens, mulheres e crianças que sofreram um dos maiores desastres da exploração do Oeste americano. Foram apenas as circunstâncias do acaso ou algo desesperado, doente e esfomeado causou a ruína de todos?

Wook

Uma leitura muito viciante. Um livro que diverte – verdadeiro page-turner.

31 Jul
31.07.2019 (…) Penso que nenhum homem argumentaria contra a ideia de que, se todo o pensamento consciente, toda a memória, toda a capacidade de raciocínio fossem momentaneamente erradicados da mente humana, o que ficaria seria puro e terrível.
(…)
Sabem, no fundo nada temos de Homo Sapiens. O nosso núcleo é a loucura. A instância primário é o assassínio.
Cell de Stephen King (página 219)

estação das chuvas de josé eduardo agualusa

24 Jul
24.07.2019

Biografia romanceada de Lídia do Carmo Ferreira, poetisa e historiadora angolana, misteriosamente desaparecida em Luanda, em 1992, após o recomeço da guerra civil, transporta-nos desde o início do século até aos nossos dias através de um cenário violento e inquietante. Um jornalista (o narrador) tenta descobrir o que aconteceu a Lídia, reconstruindo o seu passado e recuperando a história proibida do movimento nacionalista angolano; pouco a pouco, enquanto a loucura se apropria do mundo, compreende que o destino de Lídia já não se distingue do seu.

Quetzal Editores

Obra dolorosa da José Eduardo Agualusa.

As diversas personagens do livro são apanhadas no turbilhão do movimento nacionalista angolano e acompanham a violência que ele produz. E se o objectivo do livro não é responder ao que origina a violência é fácil compreender que para uns é a sobrevivência, para outros a fuga de uma vida no inferno, para outros a família, a ganância e até a ilusão.

Estação das Chuvas perturba e choca o leitor. Mas a narração é bem equilibrada. Nos momentos em que o autor escreve sobre a vida de Lídia do Carmo Ferreira temos uma narrativa lúcida (poética). Quando narra episódios relacionados com a guerra civil é-nos apresentada realistamente a loucura da guerra e do ódio..

felizes os felizes por yasmina reza

04 Mar
04.03.2019

Boa leitura. Gostei da escrita, digamos que minimalista.

Os capítulos, são 21, têm como título o nome de cada uma das personagens que se vão cruzando, às vezes em apenas pequenas referências, ao longo da narrativa.

Cada capítulo narra episódios diários tão comuns que são hilariantes.

Temos episódios que tratam de amor, de desejo, de luxúria, de humilhações, de loucura, de sussurros, de amizade, narrados brilhantemente.

Adorei descobrir esta escritora.


Ocorre uma deselegância no primeiro capítulo, Roberto Toscano, quando a escritora refere que a canção Sodade é portuguesa (página 17). A canção Sodade é cantada por Cesária Évora de nacionalidade cabo-verdiana.

contacte um administrador, as frases feitas

08 Nov
08.11.2016

01.10.2016
contacte um administrador: as regras não foram servidas com molho bechamel.

04.10.2016
contacte um administrador: os auscultadores aumentaram o som.

06.10.2016
contacte um administrador: o sistema virou loucura.

14.10.2016
contacte um administrador: o erro de sistema tem de avisar com cinco dias de antecedência.

16 Jul
16.07.2008 – É suficientemente paranóico? Tem a certeza? A paranóia é a vaga do futuro. Fiquem alerta, fiquem paranóicos.
Os Vigilantes do Imaginário por Pat Cadigan (página 25)

Sou um felizardo. Sou possuidor de uma saudável paranóia… saudável?

Os Vigilantes do Imaginário, Pat Cadigan // título original: Mindplayers // editor: Livros do Brasil, Colecção Argonauta, n.º 551

© 1999.2019 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!