Artigos

com segurança

Como se deve segurar duas bolas na mão.

agulhas

De agulha na mão
a enfermeira dá uma injecção.
Perante uma nádega
ela fica embeiçada…
com a visão de duas
enfeitiçada.
Eu não fico embaraçado,
mas simplesmente furado.
Amanhã nova sessão.
Sentirei a picada aguda da paixão
na ponta de uma injecção.

de lado – 0107

A broom to be certified needs to have a wooden handle with a length between 1.5 meters and 2 meters. Also very important is the quality of the broom stall; must be made of straw 100% eco and with exactly 444 straws. If the broom does not meet these requirements are applied penalties. Any Broom Rider who is caught using a broom not fulfilling these requirements is fined by the scarecrow police, the most fearsome air traffic control unit.

from the perverse mind of paulo brito

(…) São exemplos de uma arte tardia mas simples, naturais e de apelo universal. Aqui não há homens de arnês ajoelhados, à espera de uma ressurreição feliz. O artista limitou-se a apresentar, com maior ou menor habilidade, a simples realidade presente dos homens, continuando-lhes e perpetuando-lhes com isso a existência. Eles não põem as mãos, não olham para o céu, mas estão aqui em baixo, tal como foram e são. Estão juntos, participam da vida uns dos outros, amam-se, e tudo isso está expresso da forma mais tocante nas pedras, apesar da execução um tanto desajeitada.
Viagem a Itália de Johann Wolfgang Von Goethe (pág. 79)

no interior: “três filhas de eva”

Vinheta que ilustra o interior do livro Três Filhas de Eva de Elif Shafak, numa edição da Quetzal Editores.

de lado – 0093

Com as mãos ocupadas com sacos de lixo reparei que por mais esforço que fizesse não me aproximava do contentor. Estaria a sonhar? Não, porque nenhum sonho conseguiria simular a chuva a colidir com os óculos. Mas a verdade é que o contentor se mantinha impávido e indolente no mesmo sitio e eu não conseguia reduzir a distância. O que se passava? Depois lá percebi: estava parado.

cara – 042

Muito mais do que uma careta, mas teimoso como sou vai para a categoria das caras. Uma cara sobre rodas.

A imagem prova que estrago qualquer o pedaço de papel que encontro à mão.

Era assim à moda do Porto. Nada de papéis e assinaturas. Dois homens de bem, uma palavra e um aperto de mão, era o contrato mais firme que as pontes de Edgar Cardoso a atravessar o Douro
Contos à Moda do Porto de Miguel Miranda (págs. 9/10)

gel líquido

Não aprecio o gel líquido para lavar as mãos.

Umas alturas parece que está a sair pelo difusor esperma, noutras ranheta. Em qualquer dos casos são ideias nojentas.

Logo a seguir, instalou-se um silêncio como ele nunca havia sentido, um silêncio onde os anos se calavam.
Comboio Nocturno para Lisboa de Pascal Mercier (página 147)