Artigos

com esta chuva de annemarie schwarzenbach

Contos de viagens. Textos curtos, quase sempre cruéis que espelham uma palete forte de emoções: solidão, inquietude, paixão, desespero, conformismo.

Com uma linguagem sem luxos a autora cria cenários febris, personagens exóticas – impossível não gostar desta escrita estimulante.

Tradução de Ana Falcão Bastos

coração negro de naomi novik

Agnieszka adora a sua pacata aldeia no vale, as florestas e o rio cintilante. Mas o maléfico Bosque permanece na fronteira e a sua sombra ameaçadora paira sobre a vida da jovem.
O povo depende do feiticeiro conhecido apenas por Dragão para manter os poderes de Bosque afastados. Mas o Dragão exige um terrível preço pela sua ajuda: uma jovem deve servi-lo durante dez anos, um destino quase tão terrível como perecer a Bosque.
A próxima escolha aproxima-se e Agnieszka tem medo. Todos sabem que o Dragão irá levar a bela, graciosa e corajosa Kasia, tudo aquilo que Agnieszka não é, e a sua melhor amiga no mundo. E não há forma de a salvar. Mas Agnieszka teme as coisas erradas. Porque quando o Dragão chega, a sua escolha surpreende todos..

Saída de Emergência

O livro Coração Negro de Naomi Novik ganhou o prémio Nebula para a melhor romance (2016) e o prémio Locus para o melhor romance de fantasia (2016).

É uma história muito boa, com pormenores horríveis (deliciosos), pintalgado de romance e de humor. A magia está cheia de efeitos sonoros e tão fulgurantes – a palavra escrita é poderosa, mas mais o é a palavra falada/cantada.

A narração de magia são dos melhores momentos do livro. As personagens são, igualmente, memoráveis. Tudo é um primor.

Tradução de Sérgio Gonçalves

Em que é que estava a pensar, naquele momento?
Nos seus segredos e em todas as esperanças e medos, no lugar que ocupava no amor: a minha mãe era uma mulher complicada, embora na altura eu tivesse a impressão de que ela era simples e transparente.
O que eu sei sobre nós, sobre o que nos aconteceu, está encerrado nesta imagem: braços abertos, ninguém que ela possa apertar ou agarrar, a única coisa que ela era capaz de fazer, e eu a afastar-me.
A Vida Feliz de Elena Varvello (página 81)

medo!

Tenham medo, tenham muito medo!

um conselho e uma decisão

O conselho
Nunca oferecer o último rebuçado a uma pessoa mais gulosa do que nós. Ela, egoisticamente, vai o aceitar e nós vamos ficar a chuchar no dedo. Isto não aconteceu comigo, mas tenho conhecimento de causa por experiência própria.

A decisão
Decidi enfrentar um dos meus maiores medos. Ficar com o fecho éclair preso na pele do escroto. Esta intrepidez, de fim de ano, tem mais a ver com o facto de estar cansado de escolher entre modelos de calças apenas com botões e pretender alargar a minha escolha para outros modelos, do que enfrentar um dos meus muitos medos. Eu orgulho-me de ter medo e com isso declarar “sou homem e mortal” – o que é um homem sem medo? Deus?

De olhos bem abertos puxei uns versáteis jeans “chino” e pim! pam! pum! o que meu pior temor não aconteceu; claro que desta vez o que contribuiu para a não ocorrência de acidentes foi ter revestido as minhas partes baixa com umas cuecas. Sou um homem de soluções.

remédio santo

Ouvi-a a minha mulher a convencer a nossa filhota de 2 anos a comer a sopa.
– “Vem aí o lobo mau. O lobo mau.”
O resultado eram umas boas gargalhadas. Ela adora o lobo mau.

Resolvi o problema dizendo:
– Vem aí o Sócrates.

Foi remédio santo. Tenho medo é que fique traumatizada…