Tag Archive for: olivier rolin

porto-sudão por olivier rolin

02 Abr
02.04.2019

Em Porto-Sudão, nas margens do Mar Vermelho, onde desempenha vagas funções de capitão de porto, o narrador é informado de que A., seu amigo de juventude, se suicidou. Juntos, na Paris de 68, tinham desenhado sonhos de um mundo mais justo, mais aventuroso, mais poético. A. tornara-se escritor; ele refugiara-se num exílio marítimo: ambos talvez procurando escapar às garras do mundo tal como ele é. Vinte e cinco anos depois do seu último encontro, o narrador decide regressar a Paris e procurar explicações para o gesto do amigo. Descobre uma história de amor infeliz, de um vazio avassalador, de um sofrimento de corpo e espírito, que por fim parece falar a um só tempo de Paris e de Porto-Sudão, cidades de todos os naufrágios. Maravilhoso relato de um amor onde «falta um corpo cuja marca invisível continua a fazer-se sentir», Porto-Sudão foi galardoado com o Prémio Femina 1994.

Livros do Brasil

Depois de ter lido três livros de Olivier Rolin de “viagens” este “Porto-Sudão” foi uma boa surpresa – primeiro estranha-se, depois entranha-se…

Muito agradável.


Tradução de João Duarte Rodrigues

suaquém

01 Abr
01.04.2019

Suaquém (em inglês: Suakin) é uma cidade e porto sudanês situado no Mar Vermelho.
Suaquém foi, até as primeiras décadas do século XX, o principal porto da região, mas a inauguração de Porto Sudão, situada 45 quilômetros ao norte, e aparelhada para receber os grandes navios que passaram a frequentar a região após a abertura do Canal de Suez determinou sua inexorável decadência. Desde a antiguidade, o porto, mencionado pelos gregos e pelos romanos, foi um ativo centro de comércio, tendo como produtos de destaque, o incenso, a mirra, a goma arábica, o aloé e o elemi. Também conhecida pelo seu mercado de escravos que teria sido o último a ser extinto em todo o mundo.

Wikipédia

[2]
[3]

Pesquisa feita depois da leitura de Porto-Sudão por Olivier Rolin.


[1] Bradt Travel Guides
[2] Olson Farlow
[3] Istanbul Investments Blog

01 Abr
01.04.2019 E como eu lhe respondia que não, que não estava chocado, que sabia que o sofrimento não era um jantar de gala, nem poesia elegíaca, que era sangue, suor e merda (…)
Porto-Sudão por Olivier Rolin (página 49)

01 Abr
01.04.2019 Compreendi rapidamente que o mais provável era nem sequer costumarem saudá-lo em vida. Ele era-lhes completamente estranho, só o seu desaparecimento lhes era familiar, porque esse servia-lhes para reanimar quotidianamente a alegria e a quase vaidade que tinham de constatar mutuamente a própria existência, a importância dessa situação de estar vivo, apesar das aparências: maravilha que eles exercitavam sem cessar através de tiradas espirituosas, de maledicência e de pequenos toques cúmplices.
Porto-Sudão por Olivier Rolin (página 41/42)

colecção miniatura

29 Mar
29.03.2019

A renascida editora Livros do Brasil reiniciou em Janeiro de 2017 a sua excelente colecção Miniatura de grandes clássicos. São grandes clássicos a preços modestos.

Esta colecção que teve o seu início na década de 1950 atingiu o lindo número de 170 livros.

Como já foi ultrapassada a marca de 10 obras na nova colecção decido-me a indicar as obras entretanto já editadas (lindo ramalhete):

  1. A Louca da Casa de Rosa Montero
  2. Soldados de Salamina de Javier Cercas
  3. A Um Deus Desconhecido de John Steinbeck
  4. Novela de Xadrez de Stefan Zweig
  5. Sinais de Fogo de Jorge de Sena
  6. Histórias do Bom Deus e Outros Contos de Rainer Maria Rilke
  7. A Metamorfose de Franz Kafka
  8. O velho que lia romances de amor de Luis Sepúlveda
  9. A Harpa de Ervas de Truman Capote
  10. Porto-Sudão de Olivier Rolin
  11. Orlando de Virginia Woolf

A manter os olhos atentos.

Mas bom seria a colecção Argonauta. Ui, isso sim!

para o dia do pai

12 Mar
12.03.2019

Comprei estes dois livros para oferecer ao meu pai no dia do pai. Já imagino o diálogo:

— Pai uma prenda para si. Afinal hoje é o dia do pai.
— Mas livros para quê? Tenho lá tempo para isto. Fica com eles.
— Obrigado pai. És o maior.

10 Ago
10.08.2017 Rios gigantes, desertos gelados, taiga sem limites, temperaturas extremas: na Sibéria, a geografia é de uma grande rudeza. A história também, pois fez dela a terra dos condenados e dos deportados, um dos nomes da Dor do século XX. E no entanto é possível encontrar um encanto secreto nesta parte do mundo, que tão bem materializa o velho termo solidão, e que é uma espécie de alto-mar em terra. Foi o que me aconteceu.
Sibéria de Olivier Rolin

comboio fantasma para o oriente de paul theroux

17 Mai
17.05.2017

Demorei algum tempo a iniciar a leitura do livro Comboio-Fantasma Para o Oriente de Paul Theroux (edição Quetzal), mas agora estou mais do que viciado – fascinante, mágico.

Para já destaco o capítulo 3 – O Ferry Para Besiktas e o capítulo 6 – Comboio Nocturno para Bacu (como me posso esquecer de Baku – Últimos Dias de Olivier Rolin)

Mais apontamentos se necessário.

baku, últimos dias de olivier rolin

08 Abr
08.04.2015

Este livro foi como a minha primeira leitura de Olivier Rolin puro encantamento. É um livro feito de farrapos. O autor cria com esses pedaços uma ligação profunda, não apenas com Baku, mas igualmente com o leitor.

Um autor que recomendo.

suíte no hotel crystal

05 Set
05.09.2010

À primeira vista não deixa de ser um guia de hotéis e é isso ao fim e ao cabo, mas não só.

É um livro chato, repetitivo com as sucessivas e pormenorizadas descrições dos quartos de hotel, mas mesmo, foi sendo lido porque Olivier Rolin apimenta, no final de cada capitulo, as descrições dos quatros de hotéis com pequenas histórias de paixão, de morte…

“Suíte no Hotel Crystal” acaba por se transformar a cada novo capítulo num doce jogo de memórias e de viagens.

© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!