Tag Archive for: portugal

o periférico de william gibson

26 Dez
26.12.2019

Grande aposta da Saída de Emergência. Autor de culto, numa obra memorável.

A história é um verdadeiro puzzle que força o leitor a juntar as peças. Com uns primeiros capítulos a obrigar a uma segunda leitura (confusos), depois de perceber a mecânica e tomar uns apontamentos paralelos foi sempre a abrir.

O Perifério é um livro complexo: “Primeiro estranha-se, depois entranha-se” [1]


[1] O primeiro anúncio da Coca-Cola em Portugal, mais de 40 anos após o seu lançamento nos EUA, foi criado pelo poeta Fernando Pessoa, mas acabou por ficar apenas no papel por razões políticas.


Tradução de Luís Santos

coisas de futebol e de portugal

11 Jun
11.06.2019

Primeiro: não me empolgam as conquistas de futebol da equipa portuguesa. Fico mais entusiasmado com o Campeonato Mundial de Corrida de Caracóis.

Segundo: vivo com alegria num país em que todos os políticos e agentes são mais que gente séria e idónea. Talvez seja o motivo para não me impressionar com os feitos futebolísticos. Só a seriedade solidária é um feito.

As pessoas sérias têm duas características:

  1. Todos dizem de si mesmo e dos outros “é pessoa séria”
  2. apesar de sofrerem todos eles de “falta de memória

Será, possivelmente, a falta de memória que os faz ser pessoas sérias? A amnésia selectiva é actualmente a doença profissional galopante entre esta gente.

Apesar de todos se sentirem ser gente séria acredito cada vez menos nesta gente e mais no Pai Natal.


_update: 15h13
Agora que visito um dos meus blogs de referência encontro isto.

festas e comemorações

11 Mai
11.05.2018

Quando terminei a quarta classe a recompensa foi ter terminado a quarta classe.
Quando terminei o 6º ano (o ciclo) a recompensa foi um gelado Corneto.
Quando terminei… não houve nada.

Actualmente existe a festa de finalistas da pré-escola, do 1º ciclo, do 2º ciclo, do 3º ciclo, do secundário, viagens de finalistas, até do 2º ciclo. Já não chegavam, também, as festas de aniversário, de casamento, baptizado, comunhão, descobri, também, festas de divórcio. Para quando em Portugal as festas de funeral?

A vida é tão miserável que tenha que ser compensada com futilidades? As crianças, adolescentes, adultos, velhos precisam de comemorar qualquer feito por irrelevante que seja?

Estarei errado?

gato preto

30 Mai
30.05.2015

Um gato a passear na aldeia de Castelo Rodrigo, Guarda, Portugal.

revista digital minatura #133, dossier vampiros

05 Abr
05.04.2014

Retomamos por una segunda vez tan exitoso tema y ha sido un éxito rotundo de colaboración, quizás exponga a mis escritores –e ilustradores- a la maligna jauría pero ellos están perfectamente calificados para este encuentro y cuentan con una gran ventaja: La imaginación.
Como siempre damos las gracias por estar ahí: colaborando o simplemente leyendo estas líneas.
¡Gracias por leernos!

Ricardo Acevedo Esplugas y Carmen Rosa Signes Urrea

Tenho orgulho de ter publicadas duas histórias minhas na Digital miNatura #133.
Este número tem colaborações da:

  • Argentina
  • Bélgica
  • Brasil
  • Colômbia
  • Chile
  • Cuba
  • El Salvador
  • Espanha
  • Estados Unidos
  • França
  • Grão-Bretanha
  • Irlanda
  • Israel
  • México
  • Peru
  • Porto Rico
  • Portugal – com as minhas histórias
  • República Dominicana
  • Uruguai

As histórias são:

    • la tabla de tapas / the tapas plate
  • la familia caron / the caron family

sp-185

thirsty again por rafater

Não posso deixar de agradecer a Sandra Rodrigues e a Sérgio Araújo pelas traduções para espanhol e inglês respectivamente.

hino à gloriosa pátria e seus habitantes!

04 Jul
04.07.2013

Entre Outubro de 1986 e Outubro de 1987 escrevi este tresloucado texto. Saiu no Barcelos Popular n.º 259 de 22 de Outubro de 1987.
O texto não faz muito sentido; eu devia estar completamente pedrado.

hino à gloriosa pátria e seus habitantes!

Mas que sei eu passado que são estes anos todos.

igreja matriz de escalhão

10 Mai
10.05.2013

Pelo que me foi dado apreciar o interior da igreja aparenta estar em ruínas. Não tive a felicidade contudo de apreciar algumas sepulturas que foram “mudadas” para o cemitério adjacente.

igreja matriz de escalhão – figueira de castelo rodrigo

De qualquer forma esta igreja serviu de refúgio aos combatentes portugueses na Guerra da Restauração da independência de Portugal.

igreja matriz de escalhão – figueira de castelo rodrigo

Nas fachadas ainda são visíveis marcas de balas de canhão disparadas contra a igreja.

igreja matriz de escalhão – figueira de castelo rodrigo

Algumas fotos da Igreja Matriz de Escalhão – Figueira de Castelo Rodrigo e alguns comentários. O possível não rigor histórico pode e deve ser relatado.

rhys hughes, a sort of an interview camouflaged as something else

28 Mar
28.03.2013

I could say that this survey, or rather this psychological test to the soul of the writer Rhys Hughes (soul directly located on the left side of his mustache in the months when it is left to grow wildly, in the days when the mustache is roughly trimmed Rhys stays soulless, able to climb cliffs and astonishingly, also, capable to write stories) comes directly from within the mists that surround the coast of Swansea via royal mail, but this is not true – these evil questions come out of a partially fruit gnawed by Zwicky Fingers that fell to my chest when I read one of the bat’s adventures.

So I do not know if these questions are from the past, from the present or from future. I only know that the answers are unreal. Who could answer these temporal questions would be Madame Ligeia or Madame Berenice.

But who is Rhys Hughes? I know it’s a gladiator of words that is seen with some irregularity in Swansea Bay chating with the CEO of Litle Inc about the advantages and disadvantages of hiring goblins for household work.

rhys hughes the gladiator

rhys hughes the gladiator

Let us move to the questions that will surely increase the mystery about the writer who calls himself Rhys Hughes.

1. I already have notice that you like to climb and you publish many photos of your activity on social networks. Are you aware that these photos do not show your best side? What are you gonna do about it?
I don’t care whether a photo shows my ‘best side’ or not. I love the mountains and I love climbing. If I look clumsy doing so, too bad. The lover will always look small when compared to the object of his affections, if the object of his affections is 300 metres high. That’s inevitable. I have only returned to climbing recently after a break of 12 years. As I slowly get better at it, I hope to look better; but even if I don’t that doesn’t matter at all. Beauty and the Beast is the legend, not Beauty and the Beauty. There always must be contrast. So the answer is that I intend to do nothing about it…

2. In these climbs how many stories you find in holes?
Since I returned to climbing as a hobby, I have written many stories about climbers or stories set in the mountains; so I guess I do find them on the rockface or on the summits of cliffs. I am going to make an estimate that 33% of the stories I have written in the past year have been about climbing or featured climbing scenes…

3. I only found two pictures of you in “intellectual” poses, such as scratching the chin, which are curiously in editions of books in Portuguese. It was the butterfly stage? Because now you are in the gladiator stage.
An intellectual pose is just that: a pose. Any kind of pose is a pose. I don’t think an intellectual pose is superior in any way to the gladiator pose, or to any other kind of pose. The greatest intellectual pose of all is the blank screen of a supercomputer. Do we really wish to emulate that? In fact, if I had to pick a pose that is the best objectively: I would say that the pose of the joker, the clown, the jester is the wisest of all. As for the photos taken in Portugal: most of them were arranged by my publisher, who is much more concerned with image than I was. I just did what he told me to do.

4. It is easier for you to write short stories because it’s your preferred style or is it because you are afraid that from one certain point you’re going to forget the name of the characters?
Short stories are faster and yes, they do require less memory and organisation, so maybe they are a more lazy way of writing. I do often forget the names of my characters, as a matter of fact, ut that’s because my characters aren’t real characters; they are just chess pieces to be used to develop the idea of the story. There are only ever two characters in any of my books and stories: the author and the reader…

157022

5. Did you lost at some point in the middle of the road? And then when you find The Tavern?
I am always lost. That’s how I live my life. Permanently lost. Sometimes I get lost; but because I am already lost, when I get lost it means I have found the road. Then I usually wander off the road again and return to being lost. It’s not a bad way to proceed. I only ever find a tavern by pur chance. It’s luck, not design, that guides me on my travels.

6. What else can we expect this year out of your craziness head?
You can expect many things, but mainly I plan on finishing a novel I started writing in 1994. I have been planning to finish this novel for a long time but I really do need to get it done now…

a transformação

30 Dez
30.12.2012

Hoje pela madrugada dentro estava com os pés completamente gelados e o resto do corpo a tremer que nem decrépitas bandeiras de Portugal penduradas nas varandas ao sabor do vento. Quando o frio começou a subir pelas canelas e a alastrar pelos membros inferiores temi pela saúde do meu pénis e dos meus exuberantes testículos.
Estaria a transformar-me em vampiro? Claro que no clássico vampiro que pede licença para entrar em casa e não aquele que come vegetais ou anda à luz do dia. Um dos motivos que me leva a adorar os vampiros é esta refinada educação. O vosso deus, por exemplo, está em todo o lado e nem pediu permissão para estar neste preciso momento a ler o que estou a escrever por cima dos meus ombros.
Esta ideia romântica de transformação foi afastada pela resposta da minha mais-que-tudo, após ter bocejado um arrepiado “Estou cheio de frio e a tremer. O que se passa?”. “Olha que eu estou cheia de calor.” foram as suas palavras jocosamente apunhaladas nos meus ouvidos.

Assustei-me.

Estaria a minha energia vital a ser sugada? Passados estes anos todos seria a minha companheira de cama uma real Sil? Uma parasita cibernética do planeta “estou-realmente-lixado-da-cabeça“?
“Agora é que não me safo”, sussurrei para a minha almofada.
Senti uma mão a penetrar-me nas costas, a subir até ao pescoço e a dizer “Estás cheio de febre.” A mão e corpo saiu da cama e foi para a cozinha preparar qualquer poção diabólica ao melhor estilo de chá de Santo Daime. Soube isto quando me foi oferecido um copo de líquido branco e efervescente com um irritado “toma isto e vê se me deixas dormir”. Bebi calado e bem caladinho. Não me lembro de adormecer.

Acordei. A fêmea alfa já não estava na cama. Teria sido tudo um pesadelo?

previsão de tempestade

14 Dez
14.12.2012

Ouvi assim de raspão que estava previsto a partir das 02h00 da manhã de hoje um temporal em Portugal e que deviam ser tomadas medidas de segurança extras.

Posso confirmar esta previsão. Na minha cama perto das 03h15 começou um violento tufão com uma garina, mas não me importei de estar dentro daquele quente turbilhão que me foi oferecido a preço de ouro. A única coisa que ficou em pé depois da tempestade foi o meu coiso ofegante.

Com um banho quente relaxei e dormi com um anjo. Vivam as previsões!


o vosso meteorológico BigPole
© 1999.2020 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!