Tag Archive for: quetzal editores

no interior: “viagem por áfrica”

30 Out
30.10.2019

A vinheta – uma cubata – existente no interior do livro Viagem por África de Paul Theroux publicado pela Quetzal Editores na colecção Terra Incógnita.

teoria da viagem. uma poética da geografia de michel onfray

21 Out
21.10.2019

Que excelente descoberta. Que leitura sumarenta. Um livro realmente espectacular.

Começou bem a minha aventura pela “Terra Incógnita“, colecção de livros de viagem da Quetzal Editores.

17 Out
17.10.2019 A dor não traz nada de positivo neste processo de descoberta de si. Não aprendemos nada de essencial sobre a nossa intimidade ao voltar contra nós o impulso de morte e ao tentar transfigurar esse movimento em estética do sofrimento. Já nos basta o negativismo em pequenas doses injetadas naturalmente pelo real, não é necessário acrescentar energia negra e malévola.
Teoria da Viagem. Uma Poética da Geografia de Michel Onfray (página 75)

17 Out
17.10.2019 Quanto a mim, adoro o avião, que aguarda o seu Marinetti ou o seu poeta futurista antifascista, pois o avião induz uma outra metafísica, contribui para uma nova perceção do tempo e do espaço. Antes dele, estas formas a priori da sensibilidade kantiana deduziam-se fisicamente, hoje constatam-se experimentalmente: o tempo é espaço, velocidade, deslocação, é a translação num espaço intermédio, bem como uma perceção corporal e subjetiva, uma sensação individual e pessoal. Não há tempo absoluto, nem uma ideia do tempo face à eternidade ou ao movimento, mas apenas a pura consciência de si apreendida em durações variáveis.
Teoria da Viagem. Uma Poética da Geografia de Michel Onfray (página 67)

e então vai entender de claudio magris

16 Out
16.10.2019

Neste monólogo narrativo sobre um amor total e falhado, uma mulher fala-nos a partir de uma obscuridade misteriosa – a partir da morte? – e revela-nos num tom terno e impiedoso, que contém toda a grandeza e mesquinhez da vida e da morte, as alegrias e misérias da paixão – e do homem que ela ama, mas renuncia seguir de volta à vida. Em E Então Vai Entender, Claudio Magris movesse entre a experiência pessoal e o mito; entre a vontade de fuga e a intensidade da permanência, entre a ligeireza e a tragédia.

Quetzal Editores

Excelente narrativa.

16 Out
16.10.2019 A VIAGEM COMEÇA NUMA BIBLIOTECA. Ou numa livraria. Misteriosamente, ali prossegue, na claridade de razões antes recalcadas no corpo. Assim, antes do nomadismo deparamo-nos com o sedentarismo das estantes e salas de leitura, ou mesmo dos lares onde se acumulam as obras, os atlas, os romances, os poemas, e todos os livros que, de uma forma ou de outra, contribuem para a formulação, realização, concretização da eleição de um destino.
Teoria da Viagem. Uma Poética da Geografia de Michel Onfray (página 27)

no interior: “teoria da viagem. uma poética da geografia”

15 Out
15.10.2019

Vinheta (um planisfério) existente no interior do livro “Teoria da Viagem. Uma Poética da Geografia” de Michel Onfray editado pela Quetzal Editores na colecção Terra Incógnita.

15 Out
15.10.2019 Os pastores percorrem vastas extensões, pastam os seus rebanhos sem preocupações políticas ou sociais (…) os camponeses instalam-se, constroem, erguem, edificam aldeias (…). O capitalismos pode nascer e com ele irromper a prisão. Tudo o que recusa esta nova ordem nega o social: o nómada inquieta o poder, tornando-se incontrolável como um eletrão livre e impossível de perseguir, logo, de fixar, de convocar.
Teoria da Viagem. Uma Poética da Geografia de Michel Onfray (páginas 14 e 15)

um inverno, sete sepulturas de christoffer petersen

20 Set
20.09.2019

Na remota comunidade árctica de Inussuk, no final de cada verão, são cavadas sete sepulturas antes que o solo congele. À medida que o inverno se aproxima, a questão que se coloca é se serão em número suficiente. Neste primeiro livro de uma série que tem a Gronelândia como cenário, aparece a figura de David Maratse, um polícia prematuramente reformado que pretende levar uma vida calma, caçando e pescando, observando as baleias e os icebergues que se deslocam lentamente pelo fiorde.

Quetzal

Com um enredo nada complicado é um livro, escrito ao estilo telegráfico – poupança nas palavras é a ordem do dia – que se lê durante um fim-de-semana; a descoberta do culpado é oferecida de bandeja.

Leitura despreocupada.

livros na palete – posição 014

13 Set
13.09.2019

Nesta palete tenho mais uns livros de Aquilino Ribeiro e três autores novos.

© 1999.2019 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!