Artigos

les murailles de samaris

Perguntaram-me “qual a razão de o meu rogue se chamar Samaris”. Expliquei que era uma cidade do mundo maravilhoso Das Cidades Obscuras, criação de Benoît Peeters e François Schuiten.

Para satisfação própria ainda enviei esta foto do meu álbum assinado pelos dois autores em 1998.

A pessoa atirou para o ar “tenho a ideia que também foi um jogador do Benfica” – que cena.

Fiquei com isto na pulga da orelha e por isso esclareço…

…para que fique claro o meu Samaris não tem nada a ver com Andreas Samaris, que é o resultado que aparece no Google se se colocar apenas na pesquisa Samaris. Aconselho a colocarem Samaris BD.

a legendary campaign

Quase a completar o achievement A Legendary Campaign.

paladin (2020.06.13)

update_2020.06.16

Completas todas as campanhas de cada classe, 12 classes.

rogue e sets

Estou a subir um rogue, Zandalari Troll, e devo dizer que apesar ser de alguma forma divertido jogar com ele o que irrita mesmo são os Sets – feios como o raio.

update_2020.04.14 – Uma conversa apanhada por ali.

azares vs sortes

os azares
Os perigos de ter uma filha de 5 anos é o encontro imediato com brinquedos em qualquer divisão da sala; brinquedos devidamente desarrumados, como convém.
Ontem a navegar silenciosamente (o meu deslizar à rogue) a caminho dos comandos e de luz apagada fui contra, tropecei, soltei vocábulos indecoros quando cegamente confrontado com o cenário de guerra exibido no topo. São poucos? brinquedos, mas estavam estrategicamente colocados (de fazer inveja a Patton) para causar dano imediato.

as sortes
As sortes de ter uma filha de 5 anos são as surpresas constantes, inesperadas, loucas. Desta feita chamou os restantes habitantes da casa para a “surpresa fantástica”. E foi surpresa foi, foi – lá estava ela metida dentro de uma prateleira.

um rogue…

Qualquer dia faço um rogue para vomitar saps por tudo e por todo o lado. criaturas nojentas. vai um gajo todo pimpão no wolf a caminho de uma grande conquista e ufa um sap. um garrote. e outras merdas que a educação me impedem de escrever.

E qualquer dia faço um loladin. para meter nojo em BGs. com a bolha e dançar enquanto guardo a bandeira. e os outros pimba. pimba. e nada. posso morrer a seguir, mas só de pensar no jogador por trás do monitor a spammar teclas à espera que a bolha quebre deve ser delicioso.

E se me chatear muito ainda faço um warlock para vomitar curses que tais. e para me rir por último quando plin, plin. viva a SS. estou vivo. uau. e tu morto.

onde pára?

Já coloquei num post por aí uma imagem “procurem o wally“. Desta feita coloco uma outra imagem para “onde pára o paxo”.

o quarenta olho

reputation scryer

A escolha dos Aldor não foi a melhor opção para o meu hunter. Não sei o que me deu para escolher os Aldor. São uma raça muito esquisita. Toda paz e amor. Sem conflitos
Foram, pois, motivos vários que me levaram fazer a troca e cometer uma loucura total.
E até o menos importante foi importante. Os Scryer são maus como o meu hunter.

Farmar reputação não foi tarefa fácil. É uma seca. Sir Paxo ajudou e bastante, mas mesmo assim não foi doce. Farmei bué de olhos. Se fosse um oriental podia até usar a piada dos “olhos em bico“. Mas, mesmo assim, digo: fiquei com os olhos em bico!

Mas só hoje é que consegui atingir a neutralidade com Scryer, porque tinha de ser.
A nível 69 quero fazer quests que dêem xp, mas que também aumentem a reputação com Scryer.

reputation

O que tornou a tarefa mais aprazível foi algumas conversas no general chat como este pedido de ajuda.

help

E o sujeito insistia presumo sem resultados. Um maroto.

help

Perto de desligar o jogo a minha média diária de mortes estava em baixo.
/sad
Não queria o número do dia anterior. Até às 22.00 apenas uma morte silenciosa; um rogue que não deu luta em Netherstorm; e além demais um druida 70 já me tinha deitado ao chão duas vezes. Desesperante.
Foi ao visitar Shadowmoon Valley que a minha sorte mudou. Um mage, o mesmo mage, outro mage que passava na estrada que rasa Legion Hold e outra vez o mesmo outro mage salvaram-me o dia.

pvp

Desliguei o jogo feliz e porque o shutdown teimava em vir. Patch day.

onde está o wally?

Ogrimmar está a ser bombardeada por um raid de allies. A força poderosa da Horde consegue, apesar da queda de alguns heróis, afastar para o exterior da cidade os invasores.
A minha pergunta é simples, mas contundente. Onde está o Wally? Ui. Ui. Não é esta a pergunta.
/sorry

Onde está o rogue? Alguém sabe?
/suspense

Está tranquilamente à sombra. Coisas de rogue.

fica bem

paxo na sua nova mount
lol – enviado por Paxo via email.

Só para informar, que após ter estado a jogar ate as 2:30h da manhã, atingi finalmente o objectivo Netherdrake.

De salientar:

1. Estava com sono;
2. Face ao exposto no ponto anterior, não me recordei de fazer uma coisa que tinha como objectivo desde o inicio destas quests que era fazer um printscreen do meu primeiro encontro com o Ilidian.
3. O exposto no ponto anterior jamais poderá ser repetido com este char.
4. Estava mesmo com sono.
5. Depois de ter o Netherdrake, subitamente, fiquei sem sono.
6. Como comprei as Boots of Utter Darkness que pretendia pelo preço de 300g, depois de ver os mats necessários, e com o súbito desaparecimento do sono do meu ser, fiquei a farmar Primal Shadow até ás 4 da manhã.
7. Após tudo isto constatei que o jogo é realmente viciante.
8. Constatei também que sou um grande viciado.
9. Fui p’ra cama.
10. Acordei por sorte com um telefonema, felizmente, fora de horas de um comercial.
11. Como de costume vim trabalhar.
12. Valeu a pena.
14. O Nehterdrake é lindo.
15. ’tou com sono.

Fica bem

have you backstabbed anyone today?

O meu amigo paxo enviou-me via email uma imagem das mais divertidas que vi sobre o wow.

Não admira que o ppl não simpatize com os rogues:
seres traiçoeiros,
vaporosos,
silenciosos…
uns sacanas escorregadios como as enguias (piores do que as enguias, coitadinhas).