Tag Archive for: sanita

reflexões redondas!

24 Abr
24.04.2018

Uma pança redonda e firme é algo espectacular; uma obra de engenharia. Digna de ser pintada por um Rubens.
Uma pança em socalcos, caída é uma coisa disforme. Olhas para ela com desgosto e recordas com saudade quando o teu umbigo sorria no topo de uma montanha.

Uma reflexão directamente da sanita.

um problema químico…

19 Out
19.10.2012

Para mim ter uma relação sexual é tão normal como roer a unha do dedo grande do meu pé esquerdo ou, numa imagem mais inocente, como pescar moncos dentro do nariz. Entendo, que pessoal, que só “faça o amor” a cada 29 de Fevereiro se sinta revoltado com a minha desenvoltura – temos pena!

Contudo, hoje, não falarei de sexo, mas de química, para perceberam que BigPole é um poço de sabedoria e para abafar, igualmente, os críticos mentecaptos.
Irão concluir, não apenas que a química está presente em muitos actos da nossa vida, mesmo naqueles que pensamos que não, como eu subjugo não apenas o sexo como a química. Um pouco de arrogância nunca me fez qualquer mal.
Acho que será a primeira vez que vai ser tratado, de forma consensual porque quimicamente, o resultado de uma actividade realizado por qualquer ser humano desde sempre. Tentarei usar uma linguagem simples, singela. Aqui vai…

Ontem, ou se preferirem hoje de madrugada, eram cerca das 03h15m, num ambiente de néon proveniente da minha sanita, quando estava a descer uma calça Denim Fit Loose e uma cueca boxer Hom, com um adorável desenho de fantasia e, cuja textura ultra-leve aconchega na perfeição o meu orgão genital, para alapar as nádegas numa Kohler com assento aquecido, pensava no tempo que se perde a evacuar; daí que tenha sempre à mão algumas revistas para folhear.

Depois de terminar o meu serviço, já com o regueiro limpo e não uso papel higiénico, mas sim as opções de uma sanita 4-1, tem, também, função de bidé e como tal recebo no sítio adequado um jacto de água oscilante a uma temperatura suave e um fluxo de ar quente para secagem, tudo ajustável por comando, ah! e tem controlo de odor, puxei o autoclismo, atirei a roupa para o cesto de roupa suja, e nu preparava-me para um rápido banho de imersão ao som de uma relaxante música ambiente, quando reparei que ficou a boiar no fundo da sanita um resto, razoavelmente redondo, de fezes. Assustei-me. Enojei-me ver aquela coisa a enfrentar-me do fundo da minha Numi. Decidido a acabar com isso usei a função flush-full. O impossível aconteceu e o naco de fezes ganhou ao turbilhão aquático e lá permaneceu a boiar plácido. Assustado duplamente fiquei. Aquilo não se misturava.

Humm….. estaria perante um problema de polaridade? Duplo hummm… hummm…
Vejamos: bebi umas boas cervejas, acompanhadas por um petisco capaz de fazer corar o colesterol. E como sabemos que a água é uma substância polar e as gorduras apolares estaria perante um pedaço de fezes hidrofóbico? Grande questão química percebem? Novo flush-full, o mesmo resultado. Conclui que tinha de anular de alguma forma a polaridade das fezes e como tal atirei para dentro da sanita uns guardanapos que fui buscar à cozinha. Desta vez experimentei um eco-full e pumba o poio desapareceu nos meandros do esgoto. Milagre químico.

Conclusões a tirar? Primeiro que foi mais fácil afundar o Titanic; segundo que tenho de cortar nas gorduras.


o vosso químico BigPole

dia dos namorados vs dia dos casados

14 Fev
14.02.2012

Hoje é o Dia dos Namorados ou Dia de São Valentim. É uma data especial e comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais sendo comum a troca de cartões e presentes com simbolismo de mesmo intuito, tais como as tradicionais caixas de bombons. No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de Junho. Em Portugal também acontecia o mesmo até há poucos anos, mas actualmente é mais comum a data ser celebrada em 14 de Fevereiro.
via wikipedia

Um gajo casado não é namorado.
Já passou pela fase do ovo (aka namorado), pela fase da larva (aka noivado); encontra-se actualmente na fase pupa (aka casado) e anseia perpetuadamente chegar à etapa imago (aka fase adulta).

É complicado explicar a uma qualquer mulher… casada! o natural esquecimento de uma prenda.

Tentei hoje uma breve explicação e sinto no âmago mais meu que o resultado não foi o mais positivo. Tive em último recurso de recordar à minha mulher (aka amante) que no sábado passado desfizeram-me uma barba de dois meses – ah! ah!, não pode existir melhor prenda, mesmo com efeitos retroactivos? Certo?

E tenho tudo a meu favor (acho eu com quase toda a certeza):

elogio sempre a comida que ela faz
e quando é preciso eu cozinho. encomendo uma pizza familiar e resolvo a questão qualquer que ela seja
levanto a tampa da sanita
e baixo a tampa da sanita
Além do mais sendo eu gajo casado 364 dias por ano como seria possível, academicamente filosofando, me transformar em namorado logo pelas 00h00?
Existe algum botão escondido? Uma palavra chave?

pensamentos de sanita versão 1.0.a

11 Jan
11.01.2012

# Será que um picheleiro pode ofender uma mulher dizendo “és uma porca solta!”
# Será que um carpinteiro pode ofender uma mulher dizendo “és uma lasca no dedo!”
# Será que um serralheiro pode ofender uma mulher dizendo “és uma limalha no olho!”

# E o mesmo informático que pode morrer afogado na praia gritando F1, F1 como pedido de ajuda, pode dar-se ao luxo de solicitar favores sexuais com a frase “gostava que acedesses ao meu disco duro.”

em todo o lado

26 Dez
26.12.2011

Deus está em todo o lado? A omnipresença divina é avassaladora e uma falta de respeito. Qualquer vampiro pede licença para entrar em casa; se a autorização não lhe for dada não pode entrar e, muito importante, a permissão pode se revogada a qualquer momento.

Claro que a sorte do Deus é além da sua omnipresença ser imbuído de omnisciência, porque não acredito que quando eu tenha as nádegas estacionadas na sanita em ideal posição de expulsão dos meus demónios interiores Ele esteja na divisão a levar nas narinas com um ataque biológico infernal; mas se lá estiver problema dele – que aguente.

Foram as minhas dúvidas teológicas de 2011.

que diferença?

15 Mai
15.05.2008

Quase todos os dias sigo uma corrente de tarefas rotineiras até sair de casa para trabalhar.
esfrego os olhos. coço os tomates. cheiro as mãos. afasto os lençóis. lassamente saio da cama. chego à sanita. levanto a tampa. e urino tentando acertar sempre na água para admirar ruidosamente o esvaziar da bexiga. lavo a cara. as mãos. os dentes. a língua. e o resto. aproveito para reter água na boca. limpo-me. perco 10 segundos a escolher a roupa. visto-me. procuro pelos óculos durante 2 minutos. passeio até à cozinha. ataco o resto de uma pizza solitária. bebo um copo de leite. saio de casa.

E iniciei esta entrada dizendo quase, porque hoje foi diferente. A rotina foi quebrada. Nada como um rewind para analisar os elos da corrente.
acordo. esfrego os olhos. coço os tomates. cheiro as mãos. afasto os lençóis. lassamente saio da cama. chego à sanita. levanto a tampa. e urino tentando acertar sempre na água para admirar ruidosamente o esvaziar da bexiga. lavo a cara. as mãos. os dentes. a língua. e o resto. aproveito para reter água na boca. limpo-me. perco 10 segundos a escolher a roupa. visto-me. procuro pelos óculos durante 2 minutos. passeio até à cozinha. mimo-me com 4 bolachas integrais. bebo um copo de leite. saio de casa.

A diferença para os mais incautos poderá revelar-se com a escolha de 4 bolachas integrais. Concordo que ao primeiro relance de alguém pouco habituado a uma saudável verbosidade seja essa a conclusão. Mas não. Lamento profundamente. Lamento, mas não profundamente. Sejamos sinceros, perante esta escolha se eu revelar uma qualquer expressão de dor é por cinismo.
A diferença é que foi um dos dias em que acordei antes das 11h00. Quase sempre só me desperto a 50% depois da ingestão de meia-de-leite, a 70% ao almoço e a 90% ao jantar. Naqueles dias em que acordo a 100% o dia começa muito, mas muito mal.

© 1999.2018 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera