Tag Archive for: silêncio

hotel silêncio de auður ava ólafsdóttir

04 Jul
04.07.2019

Jónas Ebeneser está no limiar dos quarenta e nove anos. É um homem divorciado, heterossexual, sem relevância social ou vida sexual. E tem a compulsão de consertar tudo o que lhe aparece à frente. Tomou recentemente conhecimento de que não é o pai biológico da sua filha. Isso despedaça-o e fá-lo mergulhar numa crise profunda.
Com grande mestria, num estilo poético e finamente irónico, Ólafsdóttir mostra neste romance a capacidade de autorregeneração de um homem que redescobre um sentido para a vida através da bondade, mesmo que o faça a partir das profundezas do desespero.

Wook

Este livro, Hotel Silêncio de Auður Ava Ólafsdóttir, foi uma deliciosa descoberta. Uma história apaixonante que fala das fraquezas humanas e da nossa capacidade de superação. Um livro sobre a vida e os relacionamentos.

O livro é espectacular e não é a bebida a falar!

04 Jul
04.07.2019

Passado um bocado, ela vai à casa de banho e, quando volta, diz-me:
— A torneira está a pingar.
No dia seguinte, há uma mensagem na mesa da cozinha: «Fundiu-se uma lâmpada do corredor.» É esta a natureza do nosso compromisso: eu transmito-lhe sofrimento, ela atribui-me tarefas.

Hotel Silêncio de Auður Ava Ólafsdóttir (página 67)

21 Jun
21.06.2019 — Fala do Jardim da Morte, bem sei.
— Sim, a Morte. A Morte deve ser tão bela. Repousar debaixo da terra, com as ervas ondeando ao vento sobre o nosso corpo, ouvindo o silêncio em toda a volta. Não ter ontem nem amanhã! Esquecer o tempo, perdoar a vida, estar em paz! Talvez possa auxiliar-me, abrir-me as portas da Morte, porque o Amor vive em si, Miss Otis, e o Amor é mais forte do que a Morte.
O Fantasma de Canterville e Outras Histórias por Oscar Wilde (página 44)

03 Abr
03.04.2019 Ouvir o silêncio – não é um jogo de palavras. No cima de uma montanha isolada, o silêncio tinha som.
A Morte do Comendador de Haruki Murakami (página 278, vol I)

03 Abr
03.04.2019 No silêncio da floresta, tinha a sensação de que podia ouvir a passagem do tempo, a vida a passar. Uma pessoa parte, outra aparece. Um pensamento afasta-se e outro toma o seu lugar. Uma imagem despede-se e outra materializa-se. Com o acumular dos dias, também eu me desgastava e refazia. Nada permanecia parado. E o tempo perdia-se. Atrás de mim, o tempo esboroava-se em grãos de areia, que se dissolviam um após o outro. Fiquei ali sentado diante do buraco, ouvindo o som do tempo morrer.
A Morte do Comendador de Haruki Murakami (página 268, vol I)

21 Fev
21.02.2019 O telefone toca, mas ela não se dá ao trabalho de atender. O seu novo telefone, como o seu novo gravador de DVD, é uma grande chatice. Costumava sentir-se ignorada quando as pessoas não lhe telefonavam, mas agora sente-se aliviada. O seu silêncio é preferível a confrontar opções.
Sobe a Maré Negra por Margaret Drabble(páginas (página 102)

08 Nov
08.11.2017 Na presença de uma recordação estropiada, o melhor era não nos lembrarmos de nada. Por isso, ficavam em silêncio, ele a olhar para o vazio, os dois sem um antes e seguramente nenhum depois, numa harmonia perfeita de inexistência.
Shylock É o Meu Nome de Howard Jacobson (página 48)

06 Nov
06.11.2017 A cidade, efectivamente, sorri apenas àqueles que se aproximam dela e que deambulam pelas suas ruas; a esses, ela fala numa linguagem tranquilizadora e familiar, mas a alma de Paris só se revela de longe e do alto, e é no silêncio do céu que se escuta o imenso grito patético de orgulho e de fé que ela eleva na direcção das nuvens.
Paris de Julien Green (página 23)

vi-te

04 Out
04.10.2017

Cruzamos por breves segundos. Foi uma explosão de silêncio.

23 Jun
23.06.2017 Entre os mil bichos, só homem é um escutador de silêncios.
A Varanda do Frangipani de Mia Couto (pág. 30)
© 1999.2019 porta VIII. todos os direitos reservados. alimentado pelo wordpress | alojamento por oitava esfera
beam me up, scotty!